A diretora da Escola de Música do Conservatório Nacional (EMCN) disse ter recebido a garantia do ministro da Educação, Nuno Crato, de que haverá dinheiro para obras de fundo na instituição, que ficarão a cargo da Parque Escolar.

Ana Mafalda Pernão, diretora da EMCN, foi uma das representantes da comissão de defesa da escola que hoje reuniram com o ministro Nuno Crato, o secretário de Estado da Administração Escolar, João Casanova de Almeida, e com Luís Carvalho, presidente da empresa Parque Escolar, que tem a seu cargo as obras de recuperação das escolas públicas no país.

O encontro desta sexta-feira, pedido pela comissão de defesa da EMCN, aconteceu um dia depois de o ministro Nuno Crato ter anunciado no parlamento que o Governo vai «iniciar o processo» para «obras de fundo» no edifício do Conservatório Nacional, uma «fase seguinte» às obras urgentes orçamentadas em 43 mil euros, para reparar telhado, tetos e pátio do edifício, e que aguardam autorização da Direção-Geral do Património Cultural para avançar.

«Foi uma agradável surpresa. O ministro anunciou que haveria dinheiro e que seríamos uma das escolas a integrar nas obras da Parque Escolar», disse à Lusa Ana Mafalda Pernão.


Da reunião saiu a garantia de que nas próximas semanas Luís Carvalho visitaria a escola e de que «num máximo de dois meses» deve estar concluído o programa que vai permitir lançar um concurso internacional de projeto.

«Queremos um projeto de muita qualidade para a escola, queremos requalificá-la para os próximos 50 ou 100 anos», disse a diretora da instituição.

A escola promoveu nas últimas semanas diversas iniciativas públicas e protestos para alertar para a necessidade de obras no edifício.

A degradação da escola levou ao encerramento de 10 salas, por motivos de segurança, deixando muitos alunos sem aulas.