O Ministério Público (MP) acusou três pessoas, alegadamente membros do grupo «Gunas da Areosa», por suspeitas de roubar dinheiro, telemóveis e objetos a passageiros do Metro do Porto, anunciou esta segunda-feira a Procuradoria-Geral Distrital do Porto.

Segundo informações na página oficial da procuradoria, um dos arguidos está preso preventivamente, medida de coação mais grave, e os outros dois são obrigados a permanecer em casa com pulseira eletrónica.

Segundo a acusação do MP, os factos aconteceram a 05 de setembro de 2014, numa carruagem do Metro do Porto, entre as estações da Casa da Música e da Trindade, assim como na Rua das Flores, no Porto.

“Para praticarem os assaltos, os arguidos abordavam as vítimas e tiravam-lhes quantias em dinheiro, telemóveis e outros objetos facilmente transacionáveis, fazendo-se valer da superioridade numérica, da intimidação e da violência física”, lê-se na nota.

O MP considerou que os roubos foram praticados pelos três arguidos, dois dos quais com 19 e 20 anos, e por «outros indivíduos, menores e penalmente inimputáveis» que fazem parte do «autodenominado grupo Gunas da Areosa».

Os três suspeitos estão acusados da prática de crimes de roubo agravado e na forma tentada.