O Ministério Público (MP) acusou de homicídio qualificado um homem que em outubro de 2017 terá matado, por asfixia, a ex-mulher, no quarto em que esta residia no Porto, foi hoje divulgado.

Em nota publicada no seu site, a Procuradoria-Geral Distrital (PGD) do Porto refere que o MP considerou indiciado que o arguido suspeitava que a vítima, com quem mantivera uma relação de união de facto até 2015, tinha um relacionamento amoroso com outro homem.

A 30 de outubro de 2017, dirigiu-se ao local de residência da vítima, na Rua Álvares Cabral, na cidade do Porto, e questionou-a quanto a esse relacionamento, mas ela não lhe respondeu e ordenou-lhe que saísse do quarto, refere a PGD.

O arguido lançou-lhe as mãos ao pescoço e procurou asfixiá-la, o que veio a conseguir tapando-lhe boca e nariz com uma peça de roupa, assim dando causa à sua morte”, acrescenta a nota.

O MP acusou o arguido de homicídio qualificado, crime punível com pena de prisão entre 12 e 25 anos.

O arguido aguarda julgamento em prisão preventiva.