O Ministério Público (MP) abriu um inquérito por violação do segredo de justiça, na sequência da publicação de transcrições de um interrogatório efetuado ao ex-primeiro-ministro José Sócrates, no âmbito da "Operação Marquês".

"Na sequência da publicação de transcrições de um interrogatório levado a cabo no âmbito da denominada 'Operação Marquês', o Ministério Público decidiu abrir um inquérito por violação de segredo de justiça", informou o gabinete de imprensa da Procuradoria-Geral da República (PGR).


A PGR lembra que "o Ministério Público, sempre que tem conhecimento de factos suscetíveis de integrarem o crime de violação de segredo de justiça, procede à instauração do respetivo inquérito".

A revista Sábado publicou, esta quarta-feira, os detalhes do interrogatório a José Sócrates pelo procurador Rosário Teixeira.

Segundo a publicação, o ex-primeiro-ministro acusou o Ministério Público de estar mais interessado na perseguição do que em apurar a verdade. O longo inquérito atravessou momentos mais acalorados, com críticas sucessivas de José Sócrates à investigação do procurado, que acusa de não ter nenhum tipo de provas.

João Araújo, advogado de Sócrates,  classificou como "mais um inquérito" a investigação à violação do segredo e ironizou perante a decisão do MP.

"Nós estamos muito surpreendidos com esta violação do segredo de justiça, que não é habitual, não sei se o MP vai conseguir descobrir o autor da fuga", ironizou João Araújo.