O Ministério Público (MP) acusou três antigos alunos dos Pupilos do Exército de crimes de ofensa à integridade física qualificada por terem agredido, entre setembro e dezembro de 2014, oito colegas, com idades entre os 10 e 11 anos.

A Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL) adianta esta quarta-feira que os arguidos, um nascido em 1997 e os outros dois em 1998, estudantes do 5º ano, aproveitando o ascendente que possuíam sobre os alunos do 6.º ano do mesmo estabelecimento militar de ensino, em virtude de terem sido investidos pela escola em comandantes de companhia e de pelotão, agrediram oito colegas, com idades entre os 10 e 11 anos, provocando-lhes lesões.

Os arguidos encontram-se sujeitos à medida de coação de Termo de Identidade e Residência (TIR).

Entretanto, num outro caso ocorrido recentemente, a Procuradoria-Geral da República anunciou a abertura de um inquérito relacionado com as agressões a uma criança de 10 anos, alegadamente cometidas por alunos mais velhos do colégio militar Pupilos do Exército.

Confirma-se a instauração de inquérito na sequência de participação", disse a PGR, em resposta à agência Lusa, adiantando que a investigação decorre no Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa.