O PCP questionou o Ministério da Saúde sobre a continuidade do protocolo entre o Estado e o Hospital da Cruz Vermelha e quer saber o que o governo tem previsto para os serviços de cirurgia cardiotorácica em Lisboa.

Numa pergunta dirigida ao ministério de Paulo Macedo, o PCP recorda a recente publicação do relatório de uma auditoria do Tribunal de Contas sobre o acordo com o Hospital da Cruz Vermelha (HCV), o qual concluiu que este «é desvantajoso financeiramente para o Estado».

«Fica evidente que o acordo de cooperação foi estabelecido não por necessidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde (SNS), mas exclusivamente para «salvar» o Hospital da Cruz Vermelha», lê-se na questão dirigida pelo PCP ao Ministério da Saúde.

Os comunistas querem saber a razão do acordo continuar em vigor, uma vez que o ministro da Saúde, Paulo Macedo, disse no Parlamento «que não se justifica» a sua manutenção.

Na pergunta, o PCP pretende ainda saber se está em curso o encerramento do Hospital de Santa Cruz, uma vez que uma auditoria solicitada pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, realizada por um cirurgião cardiotorácico belga, aponta nesse sentido.

O Ministério da Saúde é também questionado sobre os planos que tem para os serviços de cirurgia cardiotorácica nos hospitais da região de Lisboa, escreve a Lusa.