O Ministério da Saúde lançou esta quarta-feira uma campanha de sensibilização contra o vício do tabaco, incidindo essa luta especialmente nas mulheres.

Como explica o Ministério em comunicado, de acordo com um estudo realizado em 2014, a faixa etária dos 25 aos 34 anos apresentava a maior prevalência de consumidores diários, com valores próximos dos 26% em ambos os sexos. Apesar de os homens fumarem mais do que as mulheres, nos últimos anos a prevalência do consumo de tabaco em Portugal tem diminuído nos homens e aumentado nas mulheres.

As medidas anteriormente tomadas, como a maior taxação no tabaco, restrição a fumar em espaços públicos, imagens de choque nos maços de tabaco ou maior controlo na publicidade, não estão a resultar e o consumo do tabaco não está a diminuir tão

rapidamente como seria desejável.

Aliás, na mesma nota pode ler-se que um dos três objetivos desta campanha é "travar o aumento do consumo de tabaco nas mulheres". Os outros dois são: "reduzir a prevalência de fumadores na população com 15 ou mais anos para um valor inferior a 17% até 2020" e "eliminar a exposição ao fumo ambiental do tabaco".

Por isso, o Ministério da Saúde avançou para a campanha "Deixe de Fumar. Opte por Amar Mais" e a partir de hoje, quer nas redes sociais, quer nos cinemas NOS Lusomundo será exibido uma curta-metragem de sensibilização para a causa. Nos canais de televisão a curta será exibida apenas no último trimestre de 2018.

Paula Neves é a atriz que representa uma mãe, na casa dos 40 anos, que fumou durante quase toda a vida, que está a lutar contra um cancro no pulmão, em fase terminal, e mesmo assim não consegue largar o vício. Nessa curta-metragem, Paula Neves tem uma filha e não quer que esta siga o seu exemplo.

“Uma princesa não fuma!”, diz quase no final da curta, como mensagem a passar para a faixa etária que mais preocupa.

Esta campanha resultou de um concurso de ideias realizado pela Escola Profissional de Artes, Tecnologias e Desporto (EPAD), junto dos alunos, dos 16 aos 19 anos. Houve 20 propostas, que avaliadas por um júri composto pela diretora do Programa Nacional para a Prevenção e Controlo do Tabagismo, Emília Nunes, pelo realizador e professor da EPAD, André Badalo, pela professora de Design e de História de Arte da EPAD e por um realizador convidado.

Daí resultaram as cinco finalistas, apresentadas ao Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, e à Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, no Palácio Foz, em Lisboa, que escolheram a ideia vencedora.