“A par dos textos sobre as mulheres, impressos em papéis de luxo (dois Munken diferentes de 150 gramas), irrompe um segundo livro, em papel de jornal, [ambos] reveladores de outras sexualidades, da pulsão homoerótica à perversão masoquista”, explica uma nota da editora.