O Banco de Portugal está a reavaliar o estatuto de idoneidade do vice-presidente do Millennium BCP, o luso-angolano Carlos Silva, na sequência da investigação da TVI sobre a Operação Fizz.

Em causa estará o envolvimento direto do banqueiro em operações bancárias suspeitas, que deveriam ter sido reportadas às autoridades judiciais.

A TVI mostra esta quinta-feira novas revelações, que questionam novamente decisões tomadas pelo Millennium BCP.

Um documento interno que a TVI teve acesso prova que Manuel Vicente já era classificado em 2013 como cliente de alto risco, devido a suspeitas de branqueamento de capitais.

Terá sido o próprio Orlando Figueira, mais uma vez, a querer levar o assunto à administração do banco.

Em causa três contas associadas ao número dois de Angola, que nesta altura já estava a ser investigado pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal.