O presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia saiu satisfeito do encontro desta terça-feira com o ministro da Administração Interna, depois de ter recebido a garantia de que a fusão de suplementos não trará reduções de ordenado na PSP.

Em declarações aos jornalistas à saída do encontro com Miguel Macedo, Paulo Rodrigues mostrou-se satisfeito com as garantias do governante sobre a questão dos suplementos na PSP.

«Foi-nos garantido que pode eventualmente haver uma reorganização da forma de atribuição dos suplementos, mas que ninguém vai perder nenhum valor», disse.

Paulo Rodrigues admitiu que antes da reunião havia alguma «preocupação» com a questão dos suplementos, por considerar que não era «certo» que a reorganização ou fusão dos atuais 20 suplementos existentes na PSP não implicasse quebras no rendimento dos polícias.

«Esta garantia de que não se vai mexer nos valores totais dos suplementos é uma garantia importante, porque, não acontecendo, seria vista como uma redução de vencimento», afirmou.

A reunião «acaba por vir garantir algo que, depois do que foi falado, não estava certo». «Ficámos satisfeitos», sublinhou.

Questionado sobre a pretensão do Governo de manter apenas «três ou quatro suplementos», como tinha indicado durante a manhã o presidente do Sindicato dos Profissionais de Polícia, Paulo Rodrigues adiantou que a forma de reorganização não é para a ASPP o mais importante.

«Não está definida uma forma de reorganização. Foram apresentadas algumas soluções. Não foi só uma, foram várias, não há nada de concreto e não é para nós importante», observou.

«Para nós era importante não haver redução do valor total e aí foi garantido», acrescentou.

Paulo Rodrigues disse ainda que a ASPP espera agora pela apresentação do projeto do Governo sobre o estatuto profissional da PSP, o que deverá acontecer até 15 de agosto, para depois fazer chegar ao MAI as propostas da associação sobre esta matéria.

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, iniciou hoje uma ronda de reuniões com os sindicatos da polícia para discutir as alterações ao estatuto profissional da PSP, no qual se incluem os suplementos remuneratórios.

Durante a manhã foram recebidas em separado as delegações do Sindicato dos Profissionais de Polícia e da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP)

Durante a tarde Miguel Macedo recebe o Sindicato Nacional de Oficiais da Polícia (SNOP) e Sindicato Nacional da Carreira de Chefes (SNCC-PSP).

Os restantes cinco sindicatos vão ser recebidos pelo ministro da Administração Interna entre quarta e sexta-feira.

Em cima da mesa estão as alterações ao estatuto profissional da Polícia de Segurança Pública, que inclui questões relacionadas com a tabela remuneratória, suplementos remuneratórios, progressão na carreira e avaliação.