O diretor da Agência Europeia para o Asilo (EASO), José Carreira, previu esta quinta-feira que “130 refugiados vão chegar brevemente a Portugal”, referindo que a chegada pode ocorrer “nas próximas semanas”.

À margem da cimeira euro-africana sobre migrações, em Malta, o responsável explicou ter sido junto da EASO que Portugal “manifestou a possibilidade para acolher imediatamente 130 pessoas” e que os refugiados chegados a Portugal estão ao abrigo do acolhimento de pessoas que estão fora da União Europeia.

Questionado sobre a demora em relação ao mecanismo de recolocação, dentro da União Europeia, José Carreia admitiu a possibilidade de “não existirem 130 migrantes disponíveis e identificados, que possam viajar ao fim de tarde ou amanhã de manhã ou depois”.

“Mas creio que, nas próximas semanas isso se irá verificar”, afirmou o responsável, recordando que o processo de recolocação avalia o encontro de vontades entre os migrantes em ir para determinados destinos e a disponibilidade em termos de números e datas dos países para receberem pessoas.

Os aspetos de segurança e familiares também são levados em conta, afirmou José Carreira.

Na semana passada, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras disse à Lusa que o primeiro grupo de refugiados, composto por 30 pessoas, deve chegar a Portugal no final do mês.