A Polícia Marítima portuguesa resgatou 43 pessoas a bordo de um bote à deriva entre a Turquia e a ilha grega de Lesbos, divulgou esta sexta-feira aquela força, que se encontra em missão no Mar Egeu.

De acordo com um comunicado difundido pela Polícia Marítima portuguesa, “os migrantes” encontravam-se a bordo de um bote danificado e com o motor avariado.

“A equipa da Polícia Marítima começou por resgatar todas as mulheres e crianças e só depois os homens, bem como todos os seus pertences. Apesar da ansiedade, conseguiram todos manter-se calmos e cooperantes, facilitando a ação de resgate”, refere-se no comunicado.


No total, foram resgatados para o interior da embarcação Arade quinze crianças, oito mulheres e vinte homens que foram depois desembarcados no porto de Molivos.

A nacionalidade destas 43 pessoas não foi ainda revelada pelas autoridades.

A equipa da Polícia Marítima, em missão na zona desde o passado mês de outubro, resgatou mais de 1850 pessoas, até ao momento.

A Polícia Marítima portuguesa, inicialmente integrada na missão Poseidon Sea, encontra-se neste momento integrada na missão Poseidon Rapid Intervention 2016, que tem igualmente como objetivo cooperar no controlo e vigilância das fronteiras marítimas gregas e no combate ao crime transfronteiriço, no mar Egeu.

A missão da Polícia Marítima termina no dia 30 de setembro de 2016.
 
(Foto de arquivo)