A Metro Sul do Tejo (MST) responsabilizou hoje o condutor de um autocarro pela colisão com o metro de superfície, no domingo, no Monte Caparica, em Almada, acusando-o de desrespeitar as regras de trânsito.

"O motorista do autocarro [dos TST, Transportes Sul do Tejo] desrespeitou as regras de trânsito, nomeadamente a sinalização semafórica, e colidiu contra a composição do metro que já estava imobilizada, situação acompanhada pela GNR que esteve presente no local", disse à Lusa fonte da MST.


O acidente, que ocorreu às 16:20 de domingo na Avenida Timor Loro Sae, no Monte Caparica, concelho de Almada, provocou cinco feridos entre os ocupantes do autocarro da empresa TST, dois deles com vários traumatismos, que foram assistidos no Hospital Garcia de Orta.

Apesar de já ter concluído pela culpabilidade do condutor do autocarro, a MST confirma a abertura de um processo interno de averiguação, que diz ser um procedimento regular nestas situações.

A empresa de transportes rodoviários TST também já tem em curso uma "averiguação interna" para se apurar as circunstâncias em que ocorreu o incidente, mas adianta que também está a colaborar com as autoridades policiais que estão a investigar o caso.

Questionada pela Lusa sobre o acompanhamento dos feridos que resultaram do acidente, todos ocupantes do autocarro, a empresa TST garantiu que "assegura todo o apoio necessário aos seus passageiros".

A agência Lusa tentou obter informação sobre o estado de saúde dos cinco sinistrados junto do Hospital Garcia de Orta, mas não foi possível em tempo oportuno.