O mau tempo que se fez sentir durante o fim de semana em Portugal continental vai começar a melhorar, apesar de ainda estarem previstos aguaceiros e queda de neve, disse o meteorologista Bruno Café.

“Vai desagravar. Hoje vamos ter uma melhoria, mas ainda com aguaceiros, a norte do sistema Montejunto- Estrela, sendo na forma de neve acima dos 800/1200 metros mais nas serras junto à fronteira na região norte. A queda de neve também é mais provável até ao meio da manhã e a partir do início da noite”, adiantou à agência Lusa o meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Doze distritos estão esta segunda-feira sob aviso amarelo devido à previsão de agitação marítima e queda de neve acima dos 800 metros, informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). Açores sob aviso laranja.

De acordo com o IPMA, os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Leiria, Coimbra, Lisboa, Setúbal, Beja e Faro estão sob aviso amarelo entre as 06:00 e as 00:00 de terça-feira devido à previsão de agitação marítima, com ondas com quatro a cinco metros.

O instituto informa também na sua página da Internet que os distritos de Viana do Castelo, Braga, Vila Real e Bragança estão sob aviso amarelo devido à queda de neve acima dos 800 metros, em especial nas serras mais a norte.

O aviso de neve vai estar em vigor entre as 06:00 e as 10:00. 

O aviso amarelo, o terceiro mais grave numa escala de quatro níveis, alerta para situações de risco para determinadas atividades dependentes das condições meteorológicas.

O IPMA prevê, nas regiões a norte do sistema montanhoso Montejunto-Estrela, períodos de céu muito nublado, aguaceiros, que poderão ser de granizo, queda de neve acima dos 1000/1200 metros, sendo acima dos 800/1000 metros nas serras junto à fronteira norte, e pequena descida da temperatura.

Está também previsto vento moderado do quadrante oeste, tornando-se em geral fraco para o final do dia.

Nas terras altas, o vento soprará forte do quadrante oeste com rajadas até 90 quilómetros por hora, tornando-se gradualmente moderado.

Para as regiões a sul do sistema montanhoso Montejunto-Estrela, o IPMA prevê céu muito nublado, com abertas a partir da manhã, períodos de chuva, que poderá ser temporariamente forte, passando gradualmente, de norte para sul, a aguaceiros fracos e pouco frequentes, e pequena descida da temperatura.

A previsão aponta também para vento moderado a forte de sudoeste, soprando até ao início da manhã com rajadas até 80 quilómetros por hora, tornando-se depois fraco a moderado do quadrante oeste.

Nas terras altas, o vento soprará forte do quadrante oeste com rajadas até 90 quilómetros por hora, tornando-se gradualmente moderado.

Bruno Café adiantou ainda que está prevista uma pequena descida da temperatura da ordem dos dois a quatro graus celsius. As temperaturas, em Lisboa vão oscilar entre 12 e 15 graus Celsius, no Porto e em Viana do Castelo entre 11 e 14, em Vila Real e Viseu entre 6 e 9, em Bragança entre 5 e 7, na Guarda entre 4 e 6, em Coimbra entre 9 e 13, em Castelo Branco entre 8 e 12, em Santarém entre 12 e 15, em Évora entre 11 e 14, em Beja entre 12 e 15, em Faro entre 15 e 18 e no Funchal entre 18 e 23.

Nove barras de Portugal continental estão fechadas a toda a navegação e outras quatro condicionadas devido à agitação marítima forte, prevendo-se ondas com quatro a cinco metros, segundo a Marinha portuguesa.
 

Aviso laranja nos Açores


Os grupos ocidental e central dos Açores estão sob aviso laranja, o segundo mais grave de uma escala de quatro, devido à previsão de chuva, informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o instituto, o grupo ocidental (Corvo e Flores) e central (Graciosa, São Jorge, Terceira, Pico e Faial) estão sob aviso laranja desde as 23:00 de domingo e até às 09:00 de hoje devido à chuva.

Aquelas sete ilhas dos Açores vão depois passar a aviso amarelo, ainda por causa da chuva.

Para a Madeira, prevê-se períodos de céu muito nublado, chuva até ao final da manhã, vento moderado de sudoeste, soprando forte nas terras altas, tornando-se fraco a partir da manhã e subida de temperatura, em especial, da mínima.