O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê, para esta sexta-feira, céu geralmente pouco nublado, apresentando-se muito nublado no litoral oeste e nas regiões do interior centro e sul até ao início da manhã.

Prevê também períodos de chuva fraca ou chuvisco no litoral a norte do cabo Raso e uma descida de temperatura, em especial nas regiões do interior. O vento soprará fraco a moderado de noroeste, soprando moderado a forte no litoral oeste e nas terras altas das regiões do Centro e Sul, em especial a partir da tarde, por vezes com rajadas até 60 km/h.

Para os Açores, as previsões apontam para o grupo ocidental (Flores e Corvo) céu muito geralmente nublado, períodos de chuva fraca durante a manhã e neblinas.

No grupo central (Graciosa, São Jorge, Terceira, Faial e Pico), prevê-se céu geralmente muito nublado, com períodos de chuva e neblinas.

Para o grupo oriental (São Miguel e Santa Maria), são esperados períodos de céu muito nublado com abertas, aumentando de nebulosidade a partir da tarde, e aguaceiros fracos ao final da tarde.

Na Madeira, a previsão aponta céu com períodos de muita nebulosidade, apresentando-se muito nublado até ao início da manhã e com ocorrência de períodos de chuva fraca ou chuvisco. As temperaturas máximas previstas para hoje são de 23 graus Celsius em Lisboa, 21 no Porto, 30 em Faro, 21 em Ponta Delgada e 25 no Funchal.

Nove concelhos em risco muito elevado de incêndio

Nove concelhos dos distritos de Faro, Castelo Branco, Beja e Santarém apresentam hoje risco muito elevado de incêndio.

De acordo com o IPMA, estão em risco muito elevado de incêndio os concelhos de Vila de Rei (Castelo Branco), Mação e Sardoal (Santarém), Barrancos (Beja), Alcoutim, Tavira, Loulé, São Brás de Alportel e Monchique (Faro).

Há ainda vários concelhos dos distritos de Bragança, Vila Real, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Santarém, Évora, Beja, Setúbal de Faro em risco elevado de incêndio.

Já quanto à exposição à radiação ultravioleta (UV), o IPMA alerta que todas as regiões de Portugal continental e a ilha da Madeira apresentam risco muito alto.