Portugal estava em agosto e pelo sexto mês consecutivo sem seca meteorológica, quando há um ano estava com 60% do território continental em situação de seca severa e extrema, segundo o Instituto Português do mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com índice meteorológico de seca (PDSI) disponível hoje no ‘site’ do IPMA, a 31 de agosto 8,3 % do território estava na classe de seca fraca, 63,1 % na classe normal e 28,5 % na classe de chuva fraca.

“Estes 8,3% ainda não são significativos uma vez que estamos no verão e esta percentagem diz respeito a alguns sítios do país. É uma coisa pontual. Só consideramos que há seca meteorológica quando temos uma percentagem de seca moderada durante pelo menos dois meses consecutivos”, explicou à Lusa fonte do Instituto.

O IPMA classifica em nove classes o índice meteorológico de seca, que varia entre “chuva extrema” e “seca extrema”.

O mês de agosto em Portugal continental foi o segundo mais quente dos últimos 15 anos e teve o valor médio da temperatura máxima do ar mais alto desde 1931, segundo o Boletim Climatológico do IPMA.

De acordo com o IPMA, desde fevereiro, altura em que cerca de 84% do território estava em seca severa e extrema (83% em seca severa e 1% em seca extrema) que não existe seca meteorológica em Portugal continental.

Há um ano (31 de agosto de 2017), 60% de Portugal continental estava em situação de seca severa e extrema.