O estado do tempo em Portugal continental vai melhorar a partir de segunda-feira, mas os aguaceiros fortes e a ocorrência de trovoadas vão manter-se até domingo, disse à agência Lusa a meteorologista Maria João Frada.

Em declarações à agência Lusa, a meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), adiantou que para hoje estão previstos aguaceiros, por vezes fortes com possibilidade de granizo e ocorrência de trovoadas, tendo sido emitido aviso amarelo, o terceiro mais grave de uma escala de quatro, até às 18:00 de hoje para o continente.

«Hoje ainda vamos continuar sob influência da depressão centrada a noroeste da Península Ibérica. Essa depressão tem várias linhas, bandas nebulosas associadas e que vão atravessando o território do continente dando origem a aguaceiros por vezes fortes, trovoas e eventualmente granizo», adiantou Maria João Frada.

De acordo com a meteorologista, o mau tempo foi sentido durante a noite de hoje nas regiões do centro e sul, mas gradualmente vai melhorar ao longo do dia.

«O dia de hoje já vai ser menos severo que os dois dias anteriores e a probabilidade de ocorrerem fenómenos de vento é muito baixa», salientou.

No que diz respeito a sábado, Maria João Frada adiantou quer será «um dia melhor», mas com muita nebulosidade e ainda com aguaceiros.

«Amanhã, os aguaceiros vão concentrar-se mais a partir da tarde, podendo ser pontualmente fortes e acompanhados de trovoada, mas serão já mais pontuais. Para domingo ainda vamos ter nebulosidade, mas já vamos ter boas abertas e aguaceiros fracos e menos frequentes», afirmou.

Maria João Frada salientou também que as temperaturas até domingo não vão sofrer grandes alterações, com as mínimas a variarem entre os 15 e os 19 graus Celsius e as máximas entre os 20 e os 26 graus.

Segundo a meteorologista do IPMA, os efeitos da depressão vão fazer-se sentir até domingo e depois gradualmente a partir de segunda-feira vai ocorrer uma melhoria.

«A tendência é para melhorar. Em princípio, a partir de dia 23 [terça-feira] a probabilidade de ocorrência de precipitação baixa significativamente para valores da ordem dos 35%. Parece querer instalar-se um anticiclone intenso do Atlântico e se se estender ao golgo de Biscaia poderemos vir a ter bom tempo, mas ainda é um cenário provável», concluiu.