Uma aluna de 11 anos de uma escola de Monte Abraão, concelho de Sintra, morreu esta sexta-feira no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde deu entrada após ter sido encontrada inconsciente no estabelecimento de ensino no início da semana.

Segundo uma nota do Ministério da Educação, o ministro Tiago Brandão Rodrigues "lamenta a morte" da aluna do sexto ano da Escola Básica 2,3 D. Pedro IV, do agrupamento de escolas Miguel Torga, Monte Abraão (Sintra).


"A aluna, a quem foi prestada assistência ainda na escola, foi transportada de urgência para o Hospital de Santa Maria, na passada segunda-feira", acrescenta o comunicado.


O gabinete do ministro contactou, através da Direção-Geral de Estabelecimentos Escolares, a direção do estabelecimento de ensino, que informou que "a turma e a família estão a ser acompanhadas pelos órgãos da escola", incluindo a psicóloga do agrupamento.

A nota governamental adianta que o ministério "acompanha as diligências para apurar as causas da morte desta aluna de 11 anos".

A jovem terá sido encontrada inconsciente na segunda-feira, pela hora do almoço, sendo transportada para o Hospital de Santa Maria, onde permaneceu em coma na unidade de cuidados intensivos.

O gabinete de comunicação do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) disse à Lusa que o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) recebeu, às 15:09, um pedido de socorro para uma criança que tinha desmaiado.

A pessoa que ligou através do 112 "não se encontrava junto da vítima", mas informou que a menina estava "a deitar sangue pela boca".

A operadora pediu para falar com alguém que estivesse junto da menina, tendo-lhe sido confirmado primeiro que a criança se encontrava "desmaiada, mas a respirar", e depois que "estava em paragem cardiorrespiratória, sendo iniciadas manobras de suporte básico de vida", informou o INEM.

A partir da triagem clínica efetuada, foi acionado para o local, às 15:14, uma ambulância de socorro dos Bombeiros Voluntários de Queluz e, às 15:15, a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER), sediada no Hospital S. Francisco Xavier.

Segundo o INEM, a tripulação da VMER solicitou, às 15:46, o apoio de uma Unidade Móvel de Intervenção Psicológica de Emergência e informou o CODU que, à sua chegada, os bombeiros de Queluz "encontravam-se a realizar manobras de reanimação, tendo iniciado manobras de suporte avançado de vida, que permitiram reverter a situação de paragem cardiorrespiratória".

"A criança foi entubada e ventilada sendo dada indicação pelo CODU para proceder ao transporte da mesma para o Hospital de Santa Maria", conclui a nota do INEM.


A direção da Escola EB 2,3 de D. Pedro IV, em comunicado, explica que a aluna morreu "na sequência de um acontecimento repentino ocorrido na escola, durante o primeiro intervalo da tarde de segunda-feira".

A aluna "era uma criança doce, simpática, boa colega, divertida e feliz" e "responsável, empenhada e bem comportada, que deveria ter podido continuar entre nós, feliz, em segurança, a aprender, a crescer e a brincar", acrescenta o comunicado.

As bandeiras das escolas do agrupamento estarão içadas a meia haste "durante uns dias" e hoje serão cumpridos, desde a manhã e durante a tarde, "um minuto de silêncio, como sinais de tristeza, de respeito e de homenagem".