O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, denunciou, esta terça-feira, que o Serviço de Urgência do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho "parece um cenário de guerra".

"O Serviço de Urgência parece um cenário de guerra. Aliás, nós visitámos hoje o serviço de urgência com macas por todo o corredor, quase que não se podia circular, mas isto atravessa praticamente todos os serviços do hospital", afirmou.

Miguel Guimarães disse ainda que todos os diretores de serviço estão dispostos a demitir-se se “a situação caótica se mantiver”.

O bastonário visitou o hospital de Gaia e reuniu-se com os 37 diretores de serviços e unidades de gestão integrada para se “inteirar dos problemas existentes” nesta unidade hospitalar.

Este hospital está a definhar. As prioridades são a melhoria das infraestruturas e dotar o hospital com os recursos humanos necessários”, afirmou o bastonário da Ordem dos Médicos, referindo que foi decidido enviar “uma carta urgente” ao ministro da Saúde.

Segundo Miguel Guimarães, “os ministros da Saúde e das Finanças têm de visitar este hospital e perceberão que os doentes e profissionais vivem em condições que não lembram a ninguém”.