Cinco dos maiores hospitais portugueses vão interpor uma providência cautelar contra a farmacêutica Gilead Sciences, que vende o novo fármaco da hepatite C.
 
De acordo com o «Jornal de Notícias», os hospitais de São João e de Santo António, no Porto, os Hospitais Universitários de Coimbra, o hospital de Santa Maria e o de São José, em Lisboa, decidiram unir-se contra a farmacêutica norte-americana.

Repórter TVI: doentes de hepatite C em risco por falta de dinheiro
 
Em causa, está o preço do novo tratamento para a hepatite C, o sofosbuvir, com uma taxa de cura de 90 por cento, mas que pode custar 42 mil euros por doente.
 
Além da providência cautelar por abuso de posição dominante, os hospitais vão também apresentar queixa na Autoridade da Concorrência e declarar a empresa como fornecedor hostil.
 
Vão proibir, ainda, os médicos de participarem em congressos patrocinados pelo laboratório.
 
O Infarmed está a negociar os preços com a farmacêutica, mas não chegou a acordo.