O Ministério da Educação e Ciência divulgou hoje que faltam colocar 128 (9%) do total de 1.310 horários completos disponibilizados através da Bolsa de Contratação de Escola (BCE).

Em comunicado, o ministério de Nuno Crato referiu que «128 horários completos encontram-se em processo de seleção e recrutamento pelas escolas», a que corresponde aquela percentagem de horários completos.

Na nota, o ministério salientou que, «até às 14:30 de hoje, tinham sido preenchidos 1.086 horários completos e 96 estavam em processo de aceitação por parte dos candidatos selecionados», o que totaliza 1.182 horários completos (não significa que sejam professores).

No balanço realizado hoje, depois de adiada a apresentação dos dados na sexta-feira, as estatísticas de horários incompletos revelam que «estão preenchidos 901 horários e 89 encontram-se em processo de aceitação por parte dos candidatos».

«Há ainda 160 horários incompletos em processo de seleção pelos diretores das escolas. Estes equivalem a um número bastante mais reduzido de horários completos, uma vez que os horários incompletos variam entre o horário mínimo de uma turma e as 21 horas», notou o ministério.

A BCE tem a finalidade de preencher as necessidades temporárias de professores em escolas com contratos de autonomia ou TEIP (Territórios Educativos de Intervenção Prioritária).