O homem acusado de ter matado há quase um ano um ajudante de padeiro, na Mealhada, por alegadamente não querer manter relações sexuais consigo, tem «imputabilidade atenuada», segundo um relatório da perícia psiquiátrica referido na acusação do Ministério Público (MP).

O médico do departamento de psiquiatria e saúde mental do Hospital de Aveiro que realizou a perícia concluiu que o presumível homicida revela «um défice intelectual, de grau ligeiro a moderado».

Esta deficiência determina «uma diminuição substancial, ainda que parcial, da capacidade de avaliação da ilicitude dos factos, além de diminuir a capacidade de avaliação das consequências e de regulação do seu comportamento», diz o clínico, que concluiu ainda pela existência de perigosidade.

O julgamento do homicídio do ajudante de padeiro, de 35 anos, vai começar no próximo mês de novembro no Tribunal de Aveiro.

O crime ocorreu no dia 15 de dezembro de 2013, mas o corpo da vítima só foi encontrado quatro dias depois numa mata próximo da «Cova da Areia», um local conotado com a prostituição e encontros de natureza homossexual.

Um dia depois da descoberta do corpo, a Polícia Judiciária (PJ) de Aveiro prendeu o suspeito, atualmente com 26 anos.

O arguido, que se encontra em prisão preventiva, está acusado por um crime de homicídio qualificado.

O despacho de acusação do MP, a que a agência Lusa teve acesso, descreve que o arguido e a vítima encontraram-se na tarde do dia 15 de dezembro de 2013 na «Cova da Areia».

O presumível homicida teria a expectativa de manter relações sexuais com o ajudante de padeiro, mas este terá recusado, e o arguido reagiu com violência, desferindo-lhe um murro na cabeça que o atirou ao chão e batendo-lhe com uma estaca de madeira.

Quando a vítima já se encontrava inanimada ou sem vida, o suspeito despiu-a e descalçou-a e ainda usou um punhal para lhe desferir uma facada na barriga, abandonando o local, depois de atirar o punhal e a bainha para uns silvados.

Segundo a acusação, o arguido atuou de forma «indiferente e insensível» com o propósito concretizado de tirar a vida ao ajudante de padeiro, «motivado apenas pelo leviano e fútil motivo de a vítima não querer ter relações sexuais consigo».