A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Santo Tirso registou 107 denúncias de maus-tratos em 2013, segundo dados revelados por aquela entidade a propósito do «Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância».

Em 2013 foram instaurados 107 processos, menos quatro do que em 2012, indica um relatório da CPCJ municipal. No que respeita a processos transitados, a CPCJ de Santo Tirso registava, no final de 2013, um total de 189 casos, enquanto no ano anterior fechou com 165.

«Na base destes resultados poderá estar a necessidade de se acompanhar os processos, por períodos mais longos», refere o relatório da CPCJ de Santo Tirso.

O documento refere que «a conjuntura atual pode ter influenciado gravemente os orçamentos familiares e consequentemente as problemáticas sociais nas famílias mais desfavorecidas».

Os estabelecimentos de ensino são as principais entidades sinalizadoras da ocorrência de maus-tratos na infância com 28,3% das sinalizações. Seguem-se as autoridades policiais com 21%.

O relatório da CPCJ de Santo Tirso assinala que «os processos ativos têm maior incidência na faixa etária entre os 15 e os 17 anos».

«Estes resultados poderão estar diretamente relacionados com o aumento, em 2013, das problemáticas do abandono escolar, consequência do alargamento da escolaridade obrigatório para os 18 anos ou 12º ano (...). O apoio da CPCJ junto dos pais tem sido a medida aplicada com maior destaque nos problemas detetados», conclui o documento.

Estes dados foram tornados públicos a propósito da adesão deste município à campanha «Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância» que se assinala este mês.

As atividades programadas para este mês tiveram início na terça-feira com uma largada de balões azuis feita junto ao edifício dos Paços do Concelho e em todos os jardins-de-infância e escolas básicas de Santo Tirso.

Foi iniciada também uma campanha nos Transportes Urbanos de Santo Tirso (TUST) e junto da população através da exposição de frases.

«Hoje, já deu um abraço ao seu filho?», «Já disse ao seu filho que o ama?», «Já deu um passeio com o seu filho?», «Já leu um livro com o seu filho?», «Já fez alguma surpresa ao seu filho?», «Já deixou um adoro-te na mochila do seu filho?» e «Já elogiou o seu filho hoje?», são algumas das frases da campanha.