O Comando Distrital de Operações de Socorro de Leiria registou entre as 09:00 de domingo e as 08:00 de hoje 240 ocorrências relacionadas com o mau tempo, sobretudo quedas de árvores, que provocaram cinco feridos.

Mau tempo: quedas de árvores fizeram vários feridos

Mau tempo: «O pior já passou»

«As ocorrências referem-se, essencialmente, a quedas de árvores, que se registaram um pouco por todo o distrito», disse à agência Lusa o comandante distrital, Sérgio Gomes, explicando que «houve também situações relacionadas com quedas de estruturas e deslizamentos de terras».

As situações mais graves no distrito prenderam-se com acidentes de viação, em que viaturas colidiram com árvores caídas na estrada.

Na Marinha Grande, na noite de domingo, duas viaturas embateram num pinheiro de grande porte caído na estrada para a Vieira de Leiria, originando um ferido grave e dois ligeiros.

«Há uma situação idêntica em Pombal, ainda no domingo, outra colisão com uma árvore caída na via, no Itinerário Complementar 2, que fez um ferido leve e um ferido grave», declarou o responsável.

Sérgio Gomes salientou que «não houve nenhuma zona mais fustigada que outra», referindo que as ocorrências surgiram de todo o distrito.

O comandante distrital acrescentou que «no CDOS, nos serviços municipais e nos corpos de bombeiros, os meios foram reforçados para fazer face a uma eventual necessidade de resposta mais rápida às populações», notando que «todos os agentes de proteção civil e entidades cooperantes» também aumentaram os seus meios.

Fonte da GNR de Leiria disse à Lusa pelas 10:00 que uma via em Famalicão, concelho da Nazaré, estava cortada ao trânsito automóvel devido à queda de árvores para o pavimento.

Parte do telhado de bairro social em Viana do Castelo caiu

Uma parte do telhado do bairro social da Meadela, na cidade de Viana do Castelo, caiu durante a madrugada devido ao forte de vento, com os moradores a recearem a queda de outras partes daquela cobertura.

De acordo com informações recolhidas pela Lusa junto dos moradores daquele bairro, a queda de «dezenas de telhas» sobre a rua começou cerca das 01:00 e prolongou-se durante pelo menos uma hora.

«Foram os vizinhos a avisarem-se uns aos outros para conseguirem tirar os carros que se encontravam junto ao prédio. Mas a situação não está nada segura, porque veem-se as telhas soltas, quase a cair», afirmou à Lusa um morador daquele bairro.

A agência Lusa tentou já obter informações junto do Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU), que gere aquele bairro, mas tal ainda não foi possível.

Neste bairro social, constituído por um único edifício de três andares e sete entradas, habitam cerca de 40 famílias.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viana do Castelo, durante o período de alerta de vento forte e chuva, entre as 15:00 de domingo e as 08:00 de segunda-feira, registaram-se 56 ocorrências «diretamente relacionados com o mau tempo».

Grande parte destas situações verificaram-se no concelho de Viana do Castelo e foram, essencialmente, quedas de árvores, disse a mesma fonte.

238 ocorrências em Coimbra

O CDOS de Coimbra registou, em seis horas, 238 ocorrências no distrito relacionadas com o mau tempo, disse hoje à agência Lusa o segundo comandante, explicando que 180 situações reportam-se a queda de árvores.

«Entre as 21:00 de domingo e as 03:00 de hoje registámos 238 ocorrências em todo o distrito relacionadas com a meteorologia adversa, sendo que 180 referem-se a queda de árvores», afirmou António Oliveira, salientando que não há feridos.