Três famílias foram retiradas das suas casas durante a madrugada no lugar da Pedreira, concelho do Nordeste, Açores, devido à chuva, tendo havido populações que chegaram a estar isoladas, disse à Lusa o presidente da câmara.

Segundo Carlos Mendonça, duas destas famílias foram retiradas das suas casas e realojodas "por questões de segurança" e a terceira por a habitação ter sido atinginda por materiais arrastados pela água, tendo acabado por ficar soterrada.

O autarca disse que "várias" outras casas "ficaram destruídas", mas nenhuma delas era habitada.
 

TEMPESTADE PROVOCA CATÁSTROFE NA PEDREIRA NORDESTE

Posted by Nordeste Vem Descobri-lo on  Quinta-feira, 3 de Setembro de 2015

Várias estradas e caminhos ficaram obstruídos, soterrados e danificados, mas neste momento já não há populações isoladas, acrescentou.

Segundo Carlos Mendonça, durante a madrugada, uma "tromba de água" atingiu aquela zona e "choveu muito" num curto espaço de tempo, provocando "imensos estragos".

O centro de saúde esteve aberto durante a noite e foram assistidas algumas pessoas, afetadas a nível psicológico pelo que estava a acontecer, contou ainda o autarca, que explicou que não foram registados feridos.

Os danos estão ainda a ser avaliados e estão no local diversos responsáveis, incluindo o presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, disse ainda o autarca.
 

Condições adversas vão manter-se


A Proteção Civil dos Açores alertou para a continuação de mau tempo em todas as nove ilhas açorianas, que passam a estar sob aviso laranja da meteorologia devido à previsão de chuva.

Os grupos central e oriental dos Açores  estavam sob aviso vermelho, o mais grave de uma escala de quatro por causa das previsões de chuva forte, mas o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) baixou o nível de aviso para laranja, o segundo mais grave de uma escala de quatro.

De acordo com o IPMA, o aviso laranja referente a precipitação vai vigorar nos grupos ocidental, central e oriental até às 18:00 de hoje.

As nove ilhas dos Açores estão ainda sob aviso amarelo até às 18:00 de hoje por causa das previsões de trovoada.

Num aviso emitido esta manhã, o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) informou que "permanecem as condições de forte instabilidade atmosférica em todo o arquipélago" e recordou que "o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados", pelo que, "em particular nas zonas mais vulneráveis", recomendou "a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações".

O meteorologista Carlos Ramalho, do IPMA, nos Açores, adiantou à Lusa que "só a partir de sexta-feira é que se verificará uma melhoria gradual" no tempo no arquipélago.
 

Três pessoas assistidas por hipotermia


O Serviço de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores registou 32 ocorrências, sem vítimas, nas ilhas de São Miguel e Terceira.

“Na ilha terceira houve registo de inundações e obstruções da via pública devido a problemas com esgotos e bueiros que foram rapidamente resolvidos. Em S. Miguel, a maior incidência foi nos concelhos de Nordeste e Povoação”, adiantou a  responsável do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores,  Bárbara Castelo,  citada pela agência Lusa.

No Nordeste, algumas estradas ficaram interrompidas e duas habitações ficaram inundadas devido ao transbordo de ribeiras.

“Na zona da Pedreira, concelho do Nordeste, houve uma situação mais complicada com arrastamento de troncos para a via pública e uma habitação ficou danificada. No entanto, não há registo de vítimas, tivemos apenas três pessoas que entraram em hipotermia e pelos seus próprios meios ao centro de saúde e foram assistidas”, contou.

A responsável indicou também que no concelho da Povoação algumas estradas ficaram inacessíveis.
 

TEMPESTADE PREVOCA CATÁSTROFE NA PEDREIRA NORDESTE

Posted by Nordeste Vem Descobri-lo on  Quinta-feira, 3 de Setembro de 2015

“De momento já não chove e as equipas estão no local a ajudar as populações. A acompanhar a situação estão elementos da proteção civil, câmaras municipais, assistentes sociais e da Direção Regional das Floresta”, sublinhou.