Um piloto da barra de Lisboa caiu ao mar esta quarta-feira de madrugada e morreu, apurou a TVI.

O homem, de 45 anos, caiu ao mar ao largo de Cascais quando regressava à lancha dos pilotos, após ter saído para levar um navio mercante com bandeira de Singapura até à saída do Porto de Lisboa.

Fonte da Autoridade Marítima Nacional revelou à TVI que o acidente aconteceu à 01:30. O piloto tinha estado a orientar o navio estrangeiro “Singapura Express”, de grandes dimensões, que saía da barra de Lisboa. No momento em que saía desse navio para a lancha que o devia levar a terra, caiu à água de uma altura de 15 metros.

O mar que estava com ondas de cerca de quatro metros, a chuva que caía de forma intensa e rajadas de vento de 70 a 80 km/hora impossibilitaram o salvamento do piloto.

Foram acionados meios da Polícia Marítima e uma embarcação da estação salva-vidas de Cascais, que acabaram por conseguir depois recuperar o corpo.

Porto de Lisboa anuncia investigação à "trágica morte"

O Ministério do Mar e a Administração do Porto de Lisboa lamentaram hoje a morte de um piloto da barra, ocorrida em serviço esta madrugada e anunciaram que está a decorrer uma investigação técnica ao acidente.

Na mesma nota, as duas entidades participam, "com profundo pesar", o "trágico falecimento do piloto da barra Miguel Conceição, ocorrido esta madrugada em serviço", e apresentam as condolências à família.

Decorre neste momento a investigação técnica para apurar as causas do acidente que levou a esta tragédia", afirmaram, destacando que as tentativas de resgate foram dificultadas pelas condições meteorológicas e pelo estado do mar.

O porta-voz da Marinha, Pedro Coelho Dias, explicou à Lusa que a operação de desembarque decorria a sul de Cascais e que, por causa das condições adversas no mar, com ondas de quatro metros, não foi possível aos elementos da embarcação que acompanhavam o piloto alcançá-lo no imediato, tendo sido possível depois recuperar o corpo.

Seis barras do continente estão hoje fechadas a toda a navegação e outras cinco estão condicionadas devido à agitação marítima forte, de acordo com a Marinha Portuguesa.

Por causa da agitação marítima, o Instituto Português do mar e da Atmosfera (IPMA) colocou os distritos de Lisboa, Setúbal, Beja e Faro sob aviso laranja, prevendo-se ondas de sudoeste com cinco a seis metros de altura, podendo atingir 12 metros de altura.

Este aviso laranja vai estar em vigor entre as 09:00 e as 21:00 de quinta-feira.

A Autoridade Marítima Nacional (AMN) recomenda a quem se encontra no mar a regressar ao porto de abrigo mais próximo e a adotar medidas de precaução, tais como "reforço da amarração e vigilância apertada das embarcações atracadas e fundeadas".

A AMN dirigiu um especial aviso aos pescadores lúdicos de pesca à cana, aconselhando que devem evitar "pescar junto às falésias e zonas de arriba nas frentes costeiras atingidas pela rebentação das ondas, tendo sempre presente que o mar nestas situações extremas alcança muitas vezes zonas aparentemente seguras".

À população em geral, a AMN aconselha que evitem passeios junto à costa e nas praias.

Marcelo Lamenta

O Presidente da República lamentou a morte de um comandante da Marinha Mercante num “trágico acidente ao largo de Cascais”, solidarizando-se com os pilotos das barras portuguesas “neste momento de luto para a classe profissional”.

O Presidente da República apresenta as suas condolências à família do comandante da Marinha Mercante, piloto da barra, que faleceu na sequência de um trágico acidente na última noite ao largo de Cascais, quando desembarcava do navio que tinha auxiliado na manobra de saída da barra de Lisboa”, lê-se numa mensagem de Marcelo Rebelo de Sousa, divulgada no ‘site’ da Presidência da República.