Os prejuízos decorrentes da chuva intensa que na passada sexta-feira atingiu o concelho de Santa Cruz, na Madeira, estão estimados em 1,6 milhões de euros, revelou esta quinta-feira o presidente do município.

«Rondará um milhão e 600 mil euros», afirmou, no final da reunião do executivo municipal, Filipe Sousa, esperançado no apoio do Governo Regional, sobretudo na recuperação do caminho do Salto, na freguesia de Santo António da Serra, uma via municipal que serve várias empresas e cujo custo de recuperação está orçado em 1,3 milhões de euros.

Segundo Filipe Sousa, ainda estão por contabilizar os danos no caminho de Roma, o que deverá estar feito até segunda-feira, mas é o caminho do Salto a ¿principal prioridade¿ e para a qual quer o apoio do executivo insular, sugerindo mesmo a inscrição deste investimento na proposta de orçamento regional para 2014.

«Fora isso não conseguiremos resolver este problema», reconheceu o presidente da câmara, explicando: «Já houve conversações a semana passada com o sr. secretário regional [do Ambiente e Recursos Naturais], Manuel António, na visita que fizemos ao terreno, e estamos a trabalhar no sentido de avançar já em 2014 com a recuperação daquela estrada pelo trajeto que existia ou por um alternativo que há hipótese de ser executado».

Filipe Sousa referiu ainda que o mau tempo que assolou o concelho destruiu também uma moradia, que «já esta a ser recuperada», e provocou «alguns pequenos desabamentos» de terras e queda de muralhas de caminhos.

O responsável informou que o inventário dos prejuízos será remetido ao executivo liderado por Alberto João Jardim, acrescentando que «há situações pontuais» que serão colmatadas com o orçamento municipal.

«Santa Cruz está falida, mas temos de arranjar formas também de resolver coisas urgentes», declarou, informando que a câmara já trabalhou na resolução de problemas originados pelo mau tempo.