Já foram retomadas as buscas para encontrar o ciclista que no sábado foi levado pela corrente do Rio Vouga, na Estrada da Cambeia, em Angeja, Albergaria-a-Velha.

Segundo o o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Aveiro, nas buscas, que se iniciaram ao nascer do dia, estão envolvidos uma mota de água e dois botes, além de meios humanos que percorrem as margens.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou, até às 08:00, 73 ocorrências devido ao mau tempo, a maioria quedas de árvores, deslizamento de terras e inundações, sendo os mais afetados distritos de Braga, Coimbra e Porto.

“Desde as 00:00 de hoje, e até às 08:00, registámos um total de 73 ocorrências que envolveram 225 operacionais e 89 veículos” da proteção civil, disse à agência Lusa fonte da ANPC.

Das 73 ocorrências registadas, 32 referem-se a quedas de árvores, dez a movimentos de vertentes entre os quais se destaca o deslizamento de terras, dez a inundações, 11 a quedas estruturas, a maioria pequenas como reclames luminosos, e 10 a limpezas de vias.

No sábado registou-se mais de meio milhar de ocorrências. 

 

Saiba que estradas e linhas evitar

“A situação de estradas cortadas mantém-se” em relação a sábado, adiantou a mesma fonte, acrescentando que ao todo estão cortadas 17 estradas nacionais. A A25, no distrito de Aveiro, entre o nó do Estádio e Angeja, está cortada.

Em Estarreja está cortada a estrada nacional 109, que serve de acesso à cidade pelo sul.

Em Albergaria-a-Velha está também cortada a circulação automóvel tanto na estrada nacional 109, entre Angeja e Cacia.

Em Águeda mantém-se interrompido o trânsito na estrada nacional n.º 1 e em várias estradas municipais, devido ao seu alagamento.

Também a circulação ferroviária está cortada entre Ovar e Aveiro e entre Coimbra e Pombal, e não há previsão de quando possam reabrir os troços, segundo fonte da Infraestruturas de Portugal à Lusa.

 

VEJA TAMBÉM: 

Casa soterrada em Peso da Régua obriga à retirada de duas pessoas

Nevão corta acesso à Serra da Estrela

Situação em Coimbra e Porto

 

Sete distritos em aviso vermelho

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou este domingo sete distritos do país sob ‘Aviso Vermelho’ (o aviso mais grave do IPMA, numa escala de quatro, que indica situações meteorológicas de risco extremo), até segunda-feira devido à previsão de agitação marítima, com ondas que podem atingir os 14 metros.

O IPMA colocou também dez distritos sob aviso meteorológico laranja, o segundo mais grave aviso de uma escala de quatro.

Por causa também do mau tempo, nove das 23 barras do continente foram fechadas à navegação devido à agitação marítima.

Nove das 23 barras do continente foram fechadas à navegação devido à agitação marítima e na zona norte apenas o porto de Leixões está aberto a toda a navegação, informa a Autoridade Marítima Nacional na sua página de internet.

Desde as 21:00 de sábado, pelo menos, foram encerradas as barras de Caminha, Vila Praia de Âncora, Esposende, Póvoa do Varzim, Vila do Conde, Douro, Aveiro, Figueira da Foz e São Martinho do Porto.

Na região norte apenas o porto de Leixões tinha a barra aberta, mas em Viana do Castelo o acesso foi condicionado, com as embarcações com mais de 30 metros a serem autorizadas a entrar ou sair da barra.

A barra da Nazaré mantém-se aberta a toda a navegação, mas mais a sul, em São Martinho do Porto, a barra foi encerrada devido ao mau tempo.

No resto do país, na zona sul e nos arquipélagos, as barras estão todas abertas.