O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou para vermelho o aviso para as cinco ilhas do grupo central dos Açores, onde no Faial o vento atingiu os 150 quilómetros por hora.

O aviso vermelho para as ilhas do Faial, Terceira, Graciosa, São Jorge e Pico vigora até às 5:00 de quinta-feira (mais uma hora em Lisboa), prevendo-se rajadas até 150 quilómetros.

O IPMA já tinha colocado as ilhas do Corvo e das Flores, grupo ocidental do arquipélago, sob aviso vermelho, também devido ao vento, aviso que se mantém até às 5:00 de quinta-feira.

O aviso vermelho representa uma situação meteorológica de risco extremo.

Segundo a meteorologista Rita Mota, da Delegação Regional dos Açores do IPMA, foi registada na estação do aeroporto da Horta, na ilha do Faial, uma "rajada máxima de 150 kms/hora entre as 20:30 e as 21:00 locais".

Dado prever-se que a mesma situação possa ocorrer nas outras ilhas do grupo central, em especial na Graciosa e Terceira, o IPMA elevou para vermelho o aviso.

No Corvo, a rajada máxima de vento, de 147 kms/hora, foi registada pelas 20:30, adiantou Rita Mota.

Para o grupo ocidental, vigora também um aviso laranja até às 2:00 de quinta-feira para vento e outro até às 5:00 para agitação marítima

O grupo central está, igualmente, sob aviso amarelo para vento, precipitação, trovoada e agitação marítima, que se prolongando até ao final da manhã de quinta-feira.

No grupo oriental, as ilhas de São Miguel e Santa Maria estão, igualmente, sob aviso amarelo para vento (rajadas até 100 kms/hora) e precipitação e trovoada, sendo previsível aguaceiros, por vezes fortes, até às 05:00 de quinta-feira

O aviso laranja é o segundo mais grave de uma escala de quatro e indica situação meteorológica de risco moderado a elevado. Já o aviso amarelo, o terceiro mais grave, indica situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Devido ao agravamento das condições meteorológicas, quatro portos dos Açores estão encerrados a toda a navegação: Lajes e Madalena, na ilha do Pico, o porto da Casa, no Corvo, e o das Poças, nas Flores.

Mau tempo deixa rasto de danos materiais

O mau tempo que hoje assola os Açores provocou pequenos danos materiais em habitações das Flores e Corvo, ilhas que estão sob aviso vermelho devido à previsão de rajadas de vento de 150 quilómetros por hora.

O presidente da Câmara do Corvo, José Manuel Silva, disse à agência Lusa pelas 22:00 locais (mais uma hora em Lisboa) que “três habitações sofreram danos, em janelas, portas e cobertura numa delas”, assim como a “esplanada de um restaurante que foi destruída parcialmente”, não havendo vítimas a registar.

Na vizinha ilha das Flores, que com o Corvo integra o grupo ocidental do arquipélago, “há pequenos danos materiais num telhado e num portão que o vento arrancou”, adiantou o presidente da Câmara das Lajes das Flores, Luís Maciel.

“Não é nada de muito significativo”, declarou Luís Maciel, salientando que trabalhadores da autarquia mantêm-se a postos para qualquer eventualidade.

Na mesma ilha, no concelho de Santa Cruz das Flores, “não há ocorrências a registar”, sendo que “os bombeiros ainda não saíram do quartel”, declarou o presidente da autarquia, José Carlos Mendes.

“O vento está a soprar com muita intensidade, mas não há cortes de eletricidade, nem estradas obstruídas”, esclareceu José Carlos Mendes.