A chuva vai manter-se em Portugal continental pelo menos até ao final da próxima semana e o vento vai continuar forte, mas com tendência para diminuir, disse à Lusa a meteorologista Maria João Frada.

Nos próximos dias vamos continuar sob a influência de uma depressão, já não é a Emma porque se dirige para as ilhas britânicas, mas temos outro núcleo depressionário que está no Atlântico e vai permanecer pelo menos até dia 05 [segunda-feira], havendo uma probabilidade de que até dia 09 ou 10 haja ainda continuação de um cenário depressionário”, adiantou a meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com Maria João Frada, este cenário implica que Portugal continental vai continuar com uma corrente de sudoeste com sistemas frontais associados e que vão passar a tropicais, mais quentes e vindas de sul e que vão dar origem a períodos de chuva.

Por outro lado, temos massas de ar mais frio e portanto vamos ter regime de aguaceiros. Estas duas situações vão dar-nos alternância de períodos de chuva e aguaceiros”, disse.

Segundo a meteorologista, hoje estão previstos períodos de chuvas nas regiões do Centro e Sul, que gradualmente a partir da manhã vão estender-se à região Norte, passando a partir da tarde a regime de aguaceiros.

Ainda durante a manhã poderá haver queda de neve temporariamente nas regiões Norte e Centro nos 1.000 metros, mas com a entrada do ar quente, a queda de neve passa para os pontos mais altos da Serra da Estrela. A situação de neve no Nordeste Transmontano e na Beira Alta está completamente ultrapassada”, explicou.

Para sábado, destacou, Maria João Frada, prevê-se aguaceiros que podem ser localmente intensos, eventualmente acompanhados de trovoada e no Norte e Centro de granizo e que poderão ser de neve acima dos 1.400 metros.

“No domingo teremos nas regiões Norte e Centro até ao final da manhã boas abertas e eventualmente alguns aguaceiros. Durante a tarde vamos ter períodos de chuva que começam de manhã no Sul e deslocam-se para as regiões do Norte e Centro, onde a partir da tarde vai ocorrer precipitação contínua”, disse.

Quanto às temperaturas, salientou que as mínimas vão variar entre os 0 e os 02 graus Celsius no nordeste transmontano e Beira Alta, entre os 05 e os 08 nas regiões Norte e Centro e Alto Alentejo e no Sul entre os 12 e os 14 graus.

As máximas vão oscilar entre os 12 e os 15 graus, com exceção do interior onde vão ser inferiores a 10.

“Relativamente ao vento, vamos continuar com ventos de sudoeste moderados a fortes nos próximos dias. Hoje vamos ter vento forte no litoral a partir da manhã com rajadas de 90 quilómetros por hora e nas terras altas de 110 quilómetros por hora e no final do dia tende a enfraquecer. No sábado começamos com vento forte, mas com rajadas da ordem dos 70 quilómetros por hora”, disse.

17 barras fechadas e seis condicionadas

Dezassete barras do continente e Açores estão hoje fechadas a toda a navegação e outras seis estão condicionadas devido à agitação marítima forte, de acordo com a Marinha Portuguesa.

Segundo a Marinha, as barras de Caminha, Vila Praia de Âncora, Esposende, Póvoa de Varzim, Vila do Conde, Douro, São Martinho, Ericeira, Lagos, Alvor, Albufeira, Faro, Olhão, Tavira e Vila Real de Santo António e a das ilhas das Flores e do Corvo nos Açores.

As barras de Portimão, Aveiro e da Figueira da Foz estão apenas fechadas a embarcações de calado inferior a 35 metros.

A Marinha indica ainda que as barras marítimas de Sesimbra e Setúbal estão fechadas apenas a embarcações de calado inferior a 11 metros e a de Viana do Castelo a embarcações com 30 com menos de 30 metros.

Por causa da agitação marítima, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou sob aviso amarelo os distritos de Aveiro, Leiria, Coimbra, Lisboa, Setúbal, Beja e Faro e a Madeira até sábado.

O IPMA prevê para hoje na costa ocidental ondas de sudoeste com três a quatro metros aumentando para 4 a 5 metros a partir da tarde, sendo 2,5 a 3,5 metros a norte do cabo Mondego.

Na costa sul, prevê-se ondas de sudoeste com quatro a cinco metros.

Madeira com agitação marítima e vento forte até sábado

O arquipélago da Madeira vai continuar até ao final do dia de sábado com agitação marítima e vento forte, que hoje pode chegar aos 130 quilómetros por hora nas terras altas, segundo a meteorologista Maria João Frada.

A meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) adiantou hoje à Lusa que até ao início da manhã o vento vai soprar forte com rajadas até aos 90 quilómetros por hora, sendo de 130 quilómetros por hora nas terras altas.

A partir de amanhã [sábado] há uma tendência para diminuir, mas ainda será moderado a forte. Vai reduzir a rajada para os 70 quilómetros e nas regiões montanhosas de 100/110 quilómetros por hora”, disse.

A Madeira vai estar sob aviso amarelo por causa do vento até ao final do dia de sábado, segundo o IPMA.

Relativamente às ondas, hoje e nos próximos dias vamos ter ondas de oeste noroeste com 4 a 5 metros, devendo-se manter até ao fim do dia de sábado, reduzindo depois para 03 a 04 metros. No entanto, devem manter-se nos 4 a 5 metros nos próximos dias ao largo do arquipélago”, explicou.

Por causa da agitação marítima, o arquipélago da Madeira está sob aviso amarelo até às 03:00 de sábado.

A Madeira está ainda sob aviso amarelo até ao final do dia de sábado devido à previsão de períodos de chuva, por vezes forte, e com condições favoráveis à ocorrência de trovoadas.