Quatro distritos de Portugal continental estão esta quarta-feira sob aviso laranja, o segundo mais grave de uma escala de quatro, e o resto do país a amarelo devido à previsão de chuva e vento forte, informou o IPMA.

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), os distritos de Braga, Porto, Aveiro e Viana do Castelo estão sob aviso laranja desde as 03:00 e até às 21:00 de hoje devido à previsão de aguaceiros, condições favoráveis à ocorrência de trovoadas e fenómenos extremos de vento.

O IPMA colocou também 14 distritos do continente sob aviso amarelo, o terceiro mais grave de uma escala de quatro, também devido à chuva, trovoadas e fenómenos extremos de vento até às 21:00 de hoje.

O aviso laranja é emitido pelo IPMA quando existe uma situação meteorológica de risco moderado a elevado e o amarelo quando há risco para determinadas atividades dependentes do tempo.

O IPMA prevê para no continente céu geralmente muito nublado, aguaceiros, por vezes fortes, de granizo e acompanhados de trovoada.

A previsão aponta também para vento moderado do quadrante sul, soprando moderado a forte no litoral, com rajadas da ordem dos 65 quilómetros/hora, até meio da tarde.

Nas terras altas do continente prevê-se vento forte de sudoeste, com rajadas da ordem dos 80 quilómetros/hora, diminuindo de intensidade a partir da tarde e pequena descida da temperatura máxima na região norte.

Na Madeira prevê-se períodos de céu muito nublado, aguaceiros e vento fraco a moderado do quadrante oeste, tornando-se de noroeste a partir da tarde, e soprando moderado a forte nas terras altas.

Para os Açores prevê-se períodos de céu muito nublado com boas abertas, aguaceiros fracos durante a madrugada no grupo Oriental e vento norte moderado, tornando-se bonançoso e rodando para oeste.

Em Lisboa, Viana do Castelo, Porto, Braga, Portalegre e Santa Cruz das Flores prevê-se uma temperatura máxima de 22 graus, Faro e Coimbra 23, Castelo Branco e Bragança 20, Guarda 16, Évora e Leiria 24, Beja 25, Funchal 27 e Ponta Delgada e Angra do Heroísmo 21, na síntese da Lusa.