Atualizado às 10:21

Três pessoas ficaram feridas, uma das quais com gravidade, no domingo à noite, na colisão de duas viaturas com uma árvore de grande porte caída na estrada, na Marinha Grande, informaram os bombeiros locais.

Telhas a voar, estradas cortadas e quedas de árvores

«Um pinheiro de grande porte caiu na estrada que liga Marinha Grande a Vieira de Leiria e a colisão arrancou o tejadilho de uma viatura e afundou o tejadilho de outra», disse à Lusa o comandante da corporação, Vítor Graça.

Do primeiro veículo resultaram dois feridos - o condutor e o passageiro, este último em estado grave - e do segundo carro o outro ferido ligeiro. As vítimas foram transportadas para o Centro Hospitalar de Leiria.

Quatro feridos em Setúbal

Quatro feridos ligeiros e mais de 300 ocorrências registadas durante todo o dia de domingo, a maioria quedas de árvores e de estruturas diversas, é o balanço do mau tempo na região de Setúbal, informou a Proteção Civil.

Segundo o CDOS (Centro Distrital de Operações de Socorro), três pessoas sofreram ferimentos ligeiros quando uma árvore caiu sobre a viatura em que seguiam na Agualva de Cima, perto da Marateca, concelho de Palmela. As três vítimas foram transportadas ao Hospital de São Bernardo, mas nenhuma inspirava cuidados.

A quarta vítima sofreu ferimentos ligeiros num membro superior devido à queda de uma chaminé metálica numa churrasqueira do Monte Caparica, em Almada.

Dezenas de árvores caídas no Porto

A madrugada no distrito do Porto ficou marcada por quedas de árvores, painéis, telhas, toldos, claraboias e outras estruturas, assim como por inundações, consequências do vento forte e da chuva intensa que se fizeram sentir pelo país.

Fonte do CDOS do Porto disse à Lusa que se registaram cerca de 90 ocorrências no Porto, sobretudo relacionadas com inundações e «com dezenas» de árvores caídas.

Fonte dos Sapadores Bombeiros do Porto relatou também que o grande número de ocorrências foi provocado pela ocorrência de vento muito forte, que fez com que se soltassem muitas estruturas e caíssem cerca de duas dezenas de árvores.

Entre as estruturas que se soltaram devido ao vento, há a registar uma chaminé, partes de telhados e uma marquise de um apartamento no 13.º andar de um edifício.

Segundo a mesma fonte, mantém-se encerrada, por precaução, a marginal entre o Castelo do Queijo e a foz do Douro.

Lisboa com 43 ocorrências durante a madrugada

Os Sapadores Bombeiros de Lisboa registaram um total de 43 ocorrências, 31 das quais relacionadas com o mau tempo, entre as 00:00 e as 08:00 de hoje, disse à Lusa fonte da corporação.

Segundo o sub-chefe Luis Pelengana, a madrugada de hoje «até foi calma», tendo em conta os pedidos de auxílio registados pelos Sapadores entre as 20:00 e as 23:00 de domingo, que totalizaram 53 chamadas, apenas menos dez do que as registadas entre as 00:00 e as 08:00.

De acordo com o mesmo responsável, 31 ocorrências foram devido ao mau tempo, sobretudo pela ocorrência de vento muito forte, que levou à queda de várias árvores.

30 quedas de árvores no Alentejo

O mau tempo provocou no Alentejo perto de 30 quedas de árvores e danos em cabos de eletricidade entre as 22:00 de domingo e a madrugada de hoje, informaram os bombeiros.

O distrito mais afetado durante este período foi o de Portalegre, onde o CDOS registou 15 quedas de árvores, em vários concelhos, e uma inundação no concelho de Arronches.

O CDOS de Portalegre revelou hoje à agência Lusa já ter sido reaberta ao trânsito a pequena ponte no concelho de Alter do Chão que se encontrava submersa devido à subida do caudal de uma ribeira.