O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) emitiu esta quarta-feira avisos laranja e amarelo para o arquipélago dos Açores devido à previsão de vento, chuva e agitação marítima na quinta-feira.

O aviso laranja, para o grupo central do arquipélago (ilhas do Faial, São Jorge, Graciosa, Terceira e Pico), vigora entre as 15:00 e as 24:00 de quinta-feira de Lisboa (menos uma hora nos Açores), quando são previsíveis rajadas de vento na ordem dos 120 quilómetros/hora.

O aviso laranja é o segundo mais grave de uma escala de quatro e é considerada uma situação meteorológica de risco moderado a elevado.

Para este dia, o IPMA emitiu ainda para as cinco ilhas avisos amarelo para chuva e agitação marítima, podendo as ondas chegar aos sete metros.

As duas ilhas do grupo ocidental, Corvo e Flores, estão igualmente sob aviso laranja para vento, a partir das 03:00 e as 24:00 de quinta-feira, com rajadas que podem chegar aos 120 quilómetros/hora e agitação marítima com ondas a partir dos sete metros, aumentando para nove metros a partir do final do dia.

Estas ilhas estão também sob aviso amarelo para chuva ao longo de quinta-feira.

Nas ilhas do grupo oriental do arquipélago, São Miguel e Santa Maria, há previsão de chuva e vento à noite, tendo o IPMA emitido aviso amarelo.

Na informação disponibilizada na página do Facebook da Delegação Regional dos Açores, o IPMA refere que o agravamento do estado do tempo se deve a “uma depressão muito cavada, localizada a norte” da região.

O instituto indica que na sexta-feira está previsto “um aumento da altura das ondas e a continuação de vento muito forte”, sendo esperadas ondas até 11 metros nas ilhas do Corvo e das Flores, onde o vento pode soprar até 130 quilómetros/hora.

A mesma velocidade de rajadas é esperada neste dia nas ilhas do Faial, São Jorge, Graciosa, Terceira e Pico, enquanto em São Miguel é expectável rajadas até 100 quilómetros/hora.

As ilhas dos grupos oriental e central dos Açores estiveram na segunda-feira sob aviso vermelho, o mais grave numa escala de quatro, devido às condições atmosféricas adversas.

O mau tempo provocou um morto e a Proteção Civil regional contabilizou 157 incidentes, tendo as operações de socorro envolvido 440 operacionais e 109 viaturas.

Escolas, tribunais e serviços municipais fecharam e mais de 1.600 passageiros ficaram em terra devido ao cancelamento de dezenas de voos.

Já na terça-feira, estes dois grupos de ilhas estiveram sob aviso amarelo devido à chuva, trovoada e vento.