A Maternidade Alfredo da Costa, em Lisboa, registou este ano um aumento de 14% das situações sociais. Ao todo foram 1.234 casos, mais do que em todo o ano de 2012, de acordo com os dados avançados à Lusa pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC), onde está a decorrer o II Congresso do Serviço Social do CHLC. Os mesmos dados dão conta de 1.062 casos contabilizados em 2012.

Já no Hospital D. Estefânia (HDE) foi registada uma quebra de 35% das sinalizações feitas ao Núcleo Hospitalar de Apoio à Criança e Jovem em Risco em 2012, ano em que foram efetuadas 122 sinalizações, contra 187 no ano anterior.



A maioria das sinalizações (43%) está associada à violência física, seguindo-se o abuso sexual (31%), a negligência (21%) e o abuso emocional (3%).



«O elevado número de sinalizações relacionado com a violência física e o abuso sexual deve-se ao facto de o hospital possuir equipas especializadas, com competência para a deteção deste tipo de maus-tratos», explica o CHLC.



Nos últimos três anos, verificaram-se «muitos casos» no Hospital D. Estefânia que necessitaram da intervenção da área de Apoio Social do CHLC.