Dois militares de Tancos são suspeitos do roubo de armas, no mês de junho. E um deles fazia patrulha aos paióis. Mas, até agora, a investigação ainda não conseguiu chegar aos cabecilhas do roubo. O semanário Sol adianta que os dois militares identificados estavam a ser monitorizados desde o roubo das armas.

Um dos suspeitos presta serviço no Regimento de Engenharia 1, também em Tancos, uma das três unidades responsáveis pelas rondas de segurança. 

Terá sido através destes militares que a Polícia Judiciária Militar começou, nas duas últimas semanas, a apertar o cerco aos assaltantes, mas sem ter conseguido ainda chegar aos mentores do assalto.

As munições de 9 milímetros, que continuam desaparecidas, seriam o verdadeiro alvo do roubo. 

O restante material de guerra terá sido levado por uma questão de oportunidade. Material esse que foi todo recuperado intacto. Na madrugada de quarta-feira, numa zona de mato, na Chamusca, a cerca de 20 quilómetros dos paióis de Tancos. Foi levado para os paióis vizinhos de Santa Margarida, também em Santarém.