A taxa de chumbos no 1.º ciclo do ensino básico foi este ano a mais baixa desde 2000, depois de considerados os resultados dos exames da segunda fase, criada para recuperar alunos com mais dificuldades a Português e Matemática.

De acordo com os dados divulgados nesta quarta-feira pelo Ministério da Educação e Ciência (MEC), e que constam do relatório «Análise Preliminar dos Resultados das Provas Finais de Ciclo e Exames Finais Nacionais 2013», elaborado pelo Gabinete de Avaliação Educacional (GAVE), a taxa de retenção, neste ano, para os alunos do 4º ano, fixou-se nos 3%, sendo que, em 2000, a percentagem de chumbos era superior a dez por cento.

«A realização da segunda fase, de acordo com as condições previstas no presente ano letivo, em conjunto com o período de acompanhamento extraordinário, veio permitir tanto a redução do nível de retenção como a diminuição dos níveis de reprovação por disciplina», refere o relatório do GAVE.

Os alunos do 4º ano realizaram, pela primeira vez, neste ano letivo, exames finais a Português e a Matemática, com o resultado a valer 25% da sua nota final. Os que não obtiveram aproveitamento a Português e a Matemática no final da primeira fase dos exames frequentaram um período de apoio extraordinário, mais individualizado, para conseguir, na segunda fase, as notas positivas que lhes permitissem transitar para o 5º ano de escolaridade.

De acordo com o GAVE, não só foi possível diminuir o número de alunos chumbados no final da segunda fase dos exames, por se ter permitido que conseguissem aprovação pelo menos a uma das disciplinas, como foi possível que mais de 700 alunos passassem para o 5º ano de escolaridade, sem qualquer negativa nestas disciplinas.

Ainda assim, apenas 7% dos alunos do 4º ano de escolaridade que realizaram as provas finais na segunda fase a Português, como última oportunidade para serem aprovados à disciplina, conseguiram nota positiva, o mesmo acontecendo com 20% dos alunos a Matemática.

De acordo com os dados divulgados pelo MEC, das 3.189 provas realizadas à disciplina de Português, apenas 223 alunos (7% do total) conseguiram uma nota igual ou superior a três, ou seja, a classificação positiva necessária para conseguir aprovação à disciplina.

A Matemática, os resultados foram significativamente melhores, com um quinto dos alunos a conseguir passar de uma situação de chumbo à disciplina, para a aprovação. De acordo com os números conhecidos, em 5.296 provas realizadas, 1.076 alunos (20,3% do total) conseguiu nota positiva.