A investigadora Marta Lourenço, do Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa, foi galardoada com a Medalha George Sarton da Universidade de Gent, na Bélgica, anunciou hoje o Ministério da Educação.

De acordo com um comunicado do Ministério da Ciência e da Educação, o galardão, relativo ao ano académico 2014/2015, distingue anualmente um cientista da comunidade internacional pela sua carreira nesta área.

Desde 1984, cada Faculdade da Universidade de Gent propõe um investigador da sua área, cabendo depois ao Comité Sarton, com representantes das 11 faculdades, escolher os diversos medalhados, com base nos respetivos currículos.

Marta Lourenço é licenciada em Física pela Universidade de Lisboa e obteve um mestrado em Museologia na Universidade Nova de Lisboa, tendo realizado o doutoramento em Museologia e História da Tecnologia no Conservatório Nacional de Artes e Ofícios (Conservatoire National des Arts et Métiers) de Paris.

Tem como interesses de investigação a história das coleções, dos museus, património universitário e museologia.

Marta Lourenço é investigadora-membro do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia da Universidade de Lisboa, e investigadora associada do Conservatório Nacional de Artes e Ofícios de Paris.

É, desde 2014, subdiretora dos Museus da Universidade de Lisboa, e pertence também ao Conselho Internacional dos Museus (ICOM) e à Sociedade para a Preservação de Coleções de História Natural.

A cerimónia de entrega desta Medalha Sarton realiza-se a 15 de janeiro de 2015 no Museu de História das Ciências da Universidade de Gent.

No comunicado, o Ministério da Educação felicita a investigadora pela atribuição deste prémio daquela universidade belga.

O investigador belga George Sarton (1884-1956), aluno da Universidade de Gent, foi químico e historiador, sendo considerado um dos fundadores da História da Ciência enquanto disciplina.