Em três horas, a publicação feita às 4:00 da madrugada de sábado rapidamente teve mais de 200 partilhas, muitos "gostos" e, no imediato, uns 30 comentários, versando e comparando o Serviço Nacional de Saúde português e do Canadá, país onde reside a menina Maria Moniz.

A crescer estão também, nas últimas horas, os donativos na página criada para o efeito (https://www.gofundme.com/2tbzrwdw), aparentemente realizados por portugueses. O destino da ajuda, segundo reza a publicação da eurodeputada, é ajudar a menina de oito anos, filha de portugueses emigrantes no Canadá.

De acordo com a página de donativos, Maria Moniz viu-lhe ser diagnosticada a 8 de agosto uma leucemia linfóide aguda, um problema ao nível dos glóbulos brancos do sangue. Já começou os tratamentos de quimioterapia no Sick Kids Hospital, em Toronto, mas os pais Mónica e José não têm um seguro de saúde. E também não possuem os 60 mil dólares necessários - presume-se que em moeda canadiana - para as despesas previstas para este ano (cerca de 41 mil euros).

Os tratamentos poderão, contudo, atingir os 200 mil dólares, sendo que a primeira meta da campanha aponta para a recolha de 40 mil dólares no site norte-americano, que já reuniu mais de 34 mil, em 17 dias, da parte de cerca de 400 doadores.

A mensagem de Marisa

A avaliar pela publicação da eurodeputada Marisa Matias, a própria reconhece não estar propriamente habituada em difundir este tipo de campanhas.

O tio da Maria pediu-me várias vezes que divulgasse. Pensei muitas vezes em como fazê-lo e entendi que devia fazê-lo e da forma mais simples possível, explicando o que está em causa", escreve a socióloga e também comentadora da TVI.

O apelo de um tio da menina doente terá sido o rastilho que levou Marisa Matias a abraçar a causa.

Tenho conversado por mensagem com o tio da Maria. A Maria Moniz tem 8 anos e foi-lhe diagnosticado um cancro. Esta família portuguesa vive no Canadá onde o serviço nacional de saúde não assegura os custos e dependem do seguro de saúde, que neste caso não cobre as doenças críticas", refere Marisa Matias. 

A Maria precisa de tratamentos que custam até 200 mil dólares, montante que a família não tem. Deixo aqui o link da página de angariação de fundos para quem puder ajudar. Pode ver-se quanto já foi doado e quanto falta para o objetivo", acrescenta a eurodeputada.

Polémica instalada

Entre os apoios, as partilhas e eventuais donativos, a publicação da eurodeputada desencadeou uma série de comentários no Facebook. Entre a aprovação, surgiram também as críticas  e até dúvidas sobre a campanha em curso.

Às dúvidas expostas por Manuel Alonso, Marisa Matias ainda respondeu.

Mas o debate estava irremediavelmente lançado. Censurando e defendendo o sistema público de saúde no Canadá e sobre irresistíveis e eventualmente evitáveis comparações com o que se passa a sul da fronteira daquele país, nos Estados Unidos da América.

Apesar do debate aceso e até das dúvidas sobre a petição em curso, os últimos comentários ao post de Marisa Matias mostram ir de encontro ao apelo divulgado pela eurodeputada portuguesa. E das ambições da menina Maria Moniz e da sua família.