O fotojornalista português Mário Cruz conseguiu hoje angariar o dinheiro necessário para publicar um livro sobre crianças escravizadas em falsas escolas corânicas do Senegal.

Estou bastante feliz por perceber que a mensagem passou e que o livro vai ser criado para servir de prova", disse o fotojornalista da Lusa.

A meta de 28 mil dólares (cerca de 25 mil euros) foi ultrapassada dois dias antes do fim da campanha de angariação lançada na Internet.

Mário Cruz recebeu a confirmação na Guiné-Bissau, minutos antes de inaugurar uma exposição que mostra 15 das fotografias que fez há um ano no Senegal e em solo guineense.

É muito gratificante ver famílias a observar estas fotos. Para elas é uma surpresa, mas o choque inicial depressa se transforma numa vontade de mudar as coisas", referiu.

Mário Cruz disse sentir "uma grande união" de entidades locais e dirigentes religiosos no sentido de proteger as crianças.

A mostra itinerante vai percorrer a Guiné-Bissau para alertar as famílias e arranca na cidade de Gabu, interior do país, onde parte da população ainda confia os filhos às escolas corânicas do Senegal, sem saber que são falsas.

É uma tradição muçulmana antiga: há crianças enviadas a partir dos cinco anos e que a família só volta a ver aos 15, sem imaginar que os mestres a quem as entrega vai explorá-las.

O livro que pretende ampliar a denúncia deverá ter entre 65 a 75 fotos e Mário Cruz espera vê-lo publicado até final de setembro.

Vamos tentar perceber como vamos distribuir da melhor forma possível e depois produzi-lo o mais rapidamente possível para que esta prova física chegue às mãos das pessoas do Senegal, Guiné-Bissau e um pouco por todo o mundo", concluiu.

O projeto "Talibes Modern Day Slaves" resulta do desafio lançado ao fotojornalista pela FotoEvidence, organização internacional que premeia e cria publicações de reportagens sobre injustiças sociais e violações dos direitos humanos.

Há um ano, Mário Cruz tirou uma licença sem vencimento e passou dois meses no Senegal a investigar e fotografar a vida de crianças talibés', que vivem em falsas escolas de ensino do Corão (escrituras sagradas muçulmanas) e mendigam pelas ruas.

Na altura, viajou também até à Guiné-Bissau´, onde conheceu famílias de crianças escravizadas.

As fotografias captadas por Mário Cruz, 28 anos, valeram-lhe o primeiro prémio do World Press Photo, na categoria Assuntos Contemporâneos e ainda o Prémio Estação Imagem 2016.

Antes disso, a revista de distribuição internacional Newsweek publicou 20 imagens.