Os advogados escolhem hoje o bastonário para o próximo triénio, no ato eleitoral mais renhido de sempre na Ordem dos Advogados (OA), com seis candidatos a submeterem-se a sufrágio para suceder a Marinho e Pinto.

Os 28.619 advogados inscritos, segundo o registo da OA até 18 deste mês, pouco mais de 12.000 em Lisboa, vão eleger o bastonário, entre Raposo Subtil, Vasco Marques Correia, Jorge Neto, Elina Fraga, Jerónimo Martins e Guilherme Figueiredo.

Em comum, os seis pretendem a união da classe e uma OA dialogante com o Ministério da Justiça, sem a crispação que alguns candidatos assinalaram ter sido prática nos dois mandatos de Marinho e Pinto, bastonário desde 2007.

Elina Fraga, atual primeira vice-presidente, é a candidata apoiada oficialmente por Marinho e Pinto.

Raposo Subtil já desempenhou cargos na AO - presidente e vice-presidente do Conselho Distrital de Lisboa da OA.

Deputado na Assembleia da República de 1999 a 2009, Jorge Neto candidata-se pela primeira vez na OA, enquanto Vasco Marques Correia é o atual presidente do Conselho Distrital de Lisboa e Jerónimo Martins integrou a lista de Marinho e Pinto no primeiro mandato.

As eleições para bastonário, conselho geral, conselho superior, conselhos distritais e conselhos distritais de Deontologia, e de membros dos advogados para a direção da Caixa de Previdência dos Advogados e Solicitadores, decorrerão das 10:00 às 19:00.

Os votos por correspondência são admitidos até ao encerramento das urnas, mas, com a greve de 24 horas convocada para hoje pelos sindicatos dos trabalhadores dos CTT, poderá não haver distribuição de correio.

Se tal acontecer, os votos por correspondência que chegarem à OA na segunda-feira não serão considerados válidos.

Os resultados provisórios destas eleições só deverão ser conhecidos no início da madrugada de sábado.

A eleição do conselho de deontologia da Madeira realiza-se a 10 de janeiro, uma vez que nenhuma lista se apresentou no ato eleitoral de sexta-feira.