Foram cerca de 50 mil os professores que não apresentaram os objectivos individuais, mas, segundo a deputada do Bloco de Esquerda Ana Drago, a ministra da Educação quer mesmo avançar com processos disciplinares

Em entrevista à Antena 1, a deputada confirmou a resposta dada à Comissão de Educação: «Irá haver consequências na progressão da carreira, segundo a interpretação que fazemos da reposta. Trata-se de um entendimento do Ministério da Educação e não da comissão».

Ministra diz que «sindicatos fazem chantagem com os pais»

No entanto, fica mesmo a ideia de que quem não entregou objectivos individuais vai ser alvo de processo disciplinar, por isso não é avaliado e o ano de serviço não conta para a progressão na carreira.

Estes e outros esclarecimentos terão de ser dados pela própria ministra no Parlamento, em princípio na próxima semana, em resultado do requerimento potestativo apresentado pelo PSD. «Queremos saber quais as consequências para os cerca de 50 mil professores que não apresentem os respectivos objectivos individuais para o processo de avaliação», esclareceu o deputado social-democrata Pedro Duarte.

As escolas, entretanto, rejeitam avançar para os processos aos docentes. «O Ministério da Educação quer passar para as escolas a responsabilidade de punir os professores que não entreguem os Objectivos Individuais porque também não encontra respostas», reagiu ao Diário de Notícias Rosário Gama, presidente da Escola Infanta Dona Maria, em Coimbra.