"Frustrada", mas não totalmente derrotada. A portuguesa Maria Conceição viu-se obrigada a desistir de concluir a travessia do Canal da Mancha entre a Grã-Bretanha e França, após sete horas a nadar, devido às fortes correntes que se faziam sentir.

A Maria Conceição não acatou à primeira o conselho do piloto do barco de apoio, mas teve que tomar a atitude mais sensata e, ao fim de sete horas a nadar no Canal da Mancha, teve que parar a sua travessia - neste que era, a seu próprio ver, o desafio mais díficil a que já se tinha proposto - pois as correntes fortes demais colocavam em risco a sua vida, caso continuasse", lê-se na página no Facebook de apoio à filantropa.

Com seis recordes no livro do Guiness, Maria Conceição pretendia fazer a travessia de 32 quilómetros com o propósito de angariar fundos para a sua fundação no Bangladesh, sendo que a campanha de donativos se mantém (http://campaign.justgiving.com/charity/maria-cristina/channelswim).

A Maria sente-se muito frustrada por ter que interromper a sua travessia, mas claro, a sua integridade física está em primeiro lugar, e não é de somenos o tamanho esforço de nadar sete horas seguidas em águas abertas, com uma temperatura fria, numa das rotas marítimas mais movimentadas do mundo", refere-se ainda na página da Fundação Maria Cristina.

Campanha em curso

Maria da Conceição chegou a ter marcada a travessia para o passado sábado, mas foi obrigada a adiar devido ao mau tempo.

A principal meta da portuguesa continua a ser angariar 140 mil libras (166 mil euros) para garantir o pagamento dos estudos de 172 crianças apoiadas pela Fundação Maria Cristina, fundada por si há 11 anos e que já ajudou mais de 600 crianças e adultos do Bangladesh.

Primeira mulher portuguesa a subir o Evereste e detentora de três recordes mundiais de corrida, Maria Conceição aprendeu a nadar para atravessar o Canal da Mancha e ajudar as crianças do Bangladesh. A constante necessidade de angariar dinheiro forçou-a a assumir mais este desafio, o que implicou, primeiro de tudo, aprender a nadar, no ano passado e, depois, habituar-se à água fria.

A travessia total do Canal pode durar entre cerca de sete e 27 horas, mas a filantropa portuguesa esperava conseguir completar o percurso em entre 18 e 20 horas.

Recordes no currículo

Maria da Conceição tem seis recordes registados no livro de Guiness, incluindo três alcançados em 2014, quando levou a cabo o desafio 777, que consistia em correr sete maratonas em sete dias em sete continentes.

Já correu várias maratonas, subiu a montes como o Kilimanjaro, Elbrus, Kala Patear, Denali e Island Peak, alcançou o Polo Norte em 2011 e em 2013 tornou-se na primeira mulher portuguesa a alcançar o topo do Evereste.

Decidiu criar a Fundação Maria Cristina - inspirada na mulher que a acolheu em casa perante as dificuldades da mãe biológica - para auxiliar crianças do Bangladesh, evitando que sejam vítimas de trabalho ou casamento infantil.

Além de ajudar na educação básica para as crianças, a Fundação Maria Cristina financia estudos secundários de forma a fortalecer as bases de futuras carreiras que possam garantir o sustento das famílias e resgatá-las da pobreza.