O mau tempo vai voltar na madrugada desta segunda-feira, com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) a prever chuva e vento fortes, e neve, que pode levar à emissão de avisos laranja em algumas regiões. Na madrugada deste domingo ondas gigantes varreram várias zonas da costa portuguesa, deixando avultados estragos.

Durante a madrugada e a manhã desta segunda-feira, as condições climatéricas deverão piorar significativamente, mas na tarde e noite seguintes já se registarão melhorias, segundo Cristina Simões, do IPMA (antigo instituto de meteorologia).

«Serão períodos de chuva, passando gradualmente a regime de aguaceiros a partir da manhã de segunda-feira. Tanto a chuva como os aguaceiros poderão ser nas regiões norte e centro, por vezes fortes e com granizo, acompanhadas de trovoada, e também deve haver queda de neve acima dos 800/mil metros durante a madrugada, baixando a quota a partir da manhã para os 600/800 metros», disse à Lusa.

Cristina Simões disse, ainda, que o vento se irá intensificar e deve chegar a ter rajadas com 80 quilómetros por hora no litoral e de 90 quilómetros/hora nas terras altas, estando previsto um aviso amarelo.

Já as regiões altas, todas aquelas acima de 600 a 800 metros, devem sofrer quedas de neve, o que no fundo se resume a «todas as montanhas de norte e centro e, possivelmente, a Serra de São Mamede».

As previsões para o resto da semana são muito irregulares, com o tempo a agravar num dia e a melhorar no seguinte.

«Vai ser uma semana em que alternadamente vão passando frentes e vamos ter um desagravamento temporário, seguido de novo agravamento com aguaceiros e abertas. Segunda-feira será um dia em que à tarde desagrava, à noite para dia 04 já volta a agravar, para 05 desagrava novamente. À medida que as frentes vão passando, vamos ter melhorias e um tempo um pouco melhor alternadamente. Talvez o dia 04 seja uma situação semelhante [à da madrugada de segunda-feira] e depois o dia 06. Quase dia sim, dia não, vamos ter a passagem de uma frente», acrescentou.

Sete barras marítimas do país estão hoje fechadas e uma condicionada à navegação, devido à agitação marítima, de acordo com a informação disponível na página da Internet da Marinha Portuguesa.

As barras marítimas fechadas são de Esposende, Póvoa de Varzim, Vila do Conde, Douro, Figueira da Foz, Aveiro e São Martinho do Porto.

Ainda segundo a informação da Marinha Portuguesa, está condicionada a barra de Viana do Castelo a embarcações com comprimento inferior a 12 metros.

As restantes barras marítimas de Portugal continental e dos arquipélagos da Madeira e dos Açores encontram-se abertas.