O jovem que ficou ferido na explosão de um tubo de fogo, na segunda-feira, no Marco de Canaveses, já teve alta, segundo o Hospital Padre Américo, em Penafiel.

Fonte hospitalar disse à Lusa que, após a realização de vários exames de rotina, confirmou-se que o ferido não apresentava lesões graves. Sofreu apenas algumas escoriações e ferimentos no couro cabeludo.

As primeiras informações dos bombeiros e da GNR, após o incidente, apontavam para uma maior gravidade dos ferimentos.

O homem, de 22 anos, deverá ser submetido a interrogatório, no âmbito de um inquérito policial. Segundo a GNR, a diligência pode ajudar a esclarecer as circunstâncias da explosão que provocou a morte a um outro jovem, de 21 anos, e o vínculo daquela vítima em relação à empresa de pirotecnia que disponibilizou o engenho.

Aquela empresa, segundo a autoridade, tinha licença para efetuar um lançamento de fogo na segunda-feira, mas para um local diferente.

Também segundo a autoridade policial, o rebentamento que provocou o incidente foi precedido de várias explosões de «balonas», engenho que substituiu recentemente os tradicionais foguetes de cana.

Os militares da GNR procederam à desativação e recolha dos engenhos restantes, não ativados.

A explosão ocorreu à passagem do compasso pascal e a paróquia ordenou a suspensão daquela atividade religiosa.