A ministra da Agricultura e Pescas, Assunção Cristas, anunciou esta sexta-feira que vai agilizar o processamento de candidaturas ao fundo de garantia salarial para os pescadores, para fazer face às dificuldades imediatas do setor decorrentes do mau tempo.

Assunção Cristas deu esta garantia durante uma vista ao porto de pesca da Póvoa de Varzim, onde lembrou que existe uma dotação de 6 milhões de euros para este fundo, aconselhando os pescadores a fazerem as candidaturas desde já e a não esperarem pelo fim do mau tempo.

Assunção Cristas foi informada de que, devido ao mau tempo, há embarcações que não saem para o mar há mais de dois meses e mostrou-se consciente «do momento difícil pelo qual passam os pescadores».

«O fundo de compensação salarial tem uma verba elevada, são 6 milhões de euros. Mas, nos últimos anos, desde 2010 nunca foram utilizados mais de 250 mil euros por ano. O dinheiro não é problema, a única limitação são as regras europeias das ajudas de Estado e é com elas que temos de trabalhar», disse a ministra.

Assunção Cristas disse que, da parte do Governo, tudo será feito para que «o dinheiro chegue rapidamente aos pescadores necessitados».

«A burocracia do processo é inimiga da celeridade, mas vamos tentar dispensar os processos mais morosos. Da minha parte, darei todo o dinheiro possível e que esteja ao meu alcance dentro regras europeias», acrescentou.

A governante garantiu, ainda, que «está a ser trabalhada uma linha de crédito para os armadores que também estão a ter dificuldades, até porque têm apoiado as suas tripulações».