O ministro da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior foi, nesta quinta-feira, ao Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, no seu primeiro ato após tomar posse, para "dignificar a cultura científica", a "base do conhecimento".

"A base está na cultura científica, na forma de comunicar com as pessoas, de questionar, de saber criticar, identificar erros, fazer sempre o melhor, procurar a verdade", assinalou Manuel Heitor, em declarações aos jornalistas, durante uma visita a uma exposição de robótica de agrupamentos escolares, na Semana de Ciência e Tecnologia, que termina no domingo.

Para o ministro, a cultura científica "é a base do financiamento à ciência".

Questionado sobre as bases orçamentais com que vai trabalhar, respondeu: "Se soubéssemos à partida, isto não tinha interesse nenhum, nada está feito, nada está decidido, o desafio é enorme."

"Estou confiante que há uma equipa muito coesa e muito forte", afirmou, quando questionado se está em condições de assegurar um aumento do investimento na ciência, como tem defendido na qualidade de professor universitário.

Manuel Heitor disse que o seu desafio "está claramente em seguir o legado" deixado pelo ex-ministro da Ciência Mariano Gago e que "fez os portugueses acreditarem em ciência".

O atual titular da pasta foi secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior, entre março de 2005 e junho de 2011, quando era ministro da tutela Mariano Gago, que morreu em abril, e considerado por muitos o grande impulsionador da ciência em Portugal.

A rede de centros Ciência Viva, centros de divulgação científica como o Pavilhão do Conhecimento, partiu da iniciativa de Mariano Gago.