O cardeal-patriarca, Manuel Clemente, profere no domingo, no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, a primeira catequese da Quaresma, este ano subordinada ao tema «A alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira», anunciou o Patriarcado.

Esta celebração de ação de graças pela elevação ao cardinalato de Manuel Clemente, de 66 anos, está marcada para as 17:00 e em carta enviada ao clero, congregações, institutos religiosos e movimentos laicais o bispo-auxiliar de Lisboa convida à participação de todos os católicos.

«O que pretendemos com esta celebração é uma experiência de comunhão familiar ao nível diocesano», lê-se na nota assinada por Joaquim Mendes, bispo-auxiliar de Lisboa.

No final da celebração realiza-se uma cerimónia de apresentação de cumprimentos a Manuel Clemente, que foi investido cardeal no passado sábado, numa cerimónia na basílica de S. Pedro, no Vaticano, pelo papa Francisco.

O cardeal-patriarca celebrou na passada quarta-feira, na Sé de Lisboa, a missa de cinzas, que assinalou o início a Quaresma, o período do ano litúrgico entre o Carnaval e a Páscoa cristã.

Na ocasião, falando à Lusa, o eclesiástico afirmou que foi muito cumprimentado por vários dos que participaram na missa, mostrando o seu contentamento pela elevação ao cardinalato.

«Nas conversas, com as pessoas que me vieram cumprimentar, foi muito interessante, pois falaram em 'nós' e não 'o senhor'; há a consciência de um conjunto eclesial que está aqui para viver uma quaresma que tem esse sentido da solidariedade, da partilha, da responsabilidade reforçada, e é esta a maneira de estarmos no mundo», afirmou na quarta-feira passada, no final da eucaristia, Manuel Clemente.

Na sua homília, que é a Mensagem Quaresmal da Diocese de Lisboa, Manuel Clemente colocou a tónica na «misericórdia»: «A Quaresma que iniciamos tem este conteúdo vivo, de nos rendermos à misericórdia de Deus e de a reproduzirmos em nós, para que chegue a todos; e o mundo passe com Cristo para o Pai, repassado por fim dum amor definido, absolutamente próximo e inteiramente solidário. Tanta coisa depende disso, que nenhum de nós tardará decerto. Jejuemos do mais, pois só assim bastaremos; partilhemos os bens, que só em comum serão nossos; perseveremos na oração, para prosseguirmos com Deus».

Na mensagem é afirmado que «entrar em Quaresma é aceitar um desafio imenso, como é entrar no próprio coração divino. É um modo poético e, assim mesmo, verdadeiro, de corresponder à revelação bíblica do que Deus foi revelando de Si próprio, ao longo daquela história exemplar para todos os povos, tempos e lugares. Coração divino, que em Jesus demonstrou a correspondência absoluta com o coração humano, faminto e sedento de tantas fomes e sedes».

Antes da cerimónia no Mosteiro dos Jerónimos, o cardeal-patriarca preside à eucaristia que integra as comemorações do dia do fundador do escutismo, Robert Baden-Powell, às 11:00, no Pavilhão da Escola Aristides Sousa Mendes, na Póvoa de Stª. Iria, nos arredores de Lisboa, informou o Corpo Nacional de Escutas (CNE).

Segundo a mesma fonte, nesta celebração eucarística está previsto a participação de «mais de 2.000 pessoas, escuteiros entre os 6 e os 22 anos, acompanhados por voluntários adultos e suas famílias».

No domingo assinala-se o dia do fundador do escutismo a nível mundial, Robert Banden Powell, que criou este moviemnto jovem em 1907.