Prometem manifestações silenciosas e é com o silêncio que se vão fazer ouvir. Os portugueses vão sair à rua, marchar contra o que falhou para terem acontecido os incêndios mortíferos de junho e de outubro. A maior parte dos protestos são, neste sábado, no dia do Conselho de Ministros Extraordinário, em diferentes cidades.

Os movimentos começaram a surgir no Facebook logo na segunda-feira, com vários agendamentos para os dias seguintes e até domingo. Há eventos criados com alguns milhares de pessoas a dizer que sim, que marcarão presença e/ou que têm interesse em ir protestar. Outros ainda só contam com a intenção de poucas dezenas. O objetivo é um só: que todos aqueles que se sentem indignados e revoltados saiam à rua, unidos em homenagem às vítimas, para exigir mudanças políticas na prevenção - eficaz - dos fogos.

Morreram 100 pessoas a 17 de junho, na tragédia de Pedrógão Grande, e a 15 de outubro, nos distritos de ViseuCoimbraGuarda e Castelo Branco. Cerca de 80% do Pinhal de Leiria ficou destruído

Os organizadores destes protestos querem união e respostas. Tal como reivindicaram os espanhóis na Galiza, onde morreram quatro pessoas e milhares saíram à rua.

"Basta", "chega de conversa fiada". As palavras escritas gritam. Querem ação, prevenção, mudança de políticas, medidas concretas. Agora.  

Agenda das manifestações

Sexta-feira, 20 de outubro

Incêndios, até quando? Concentração em Braga

Braga, 18h, Avenida Central. Pelo menos 173 pessoas já disseram que vão e 428 têm interesse.

O país está todo a arder, vários mortos e feridos, entre seres humanos e animais. Casas ardidas, floresta, centenas de postos de trabalho em zonas do interior em causa... a pergunta que se coloca é: não vamos fazer nada? Aceitamos isto como natural? Não nos manifestamos a exigir respostas de um governo que nada diz nem faz?"

 

Incêndios, até quando? Concentração em Coimbra

Coimbra, 18h, Praça 8 de Maio. Pelo menos 202 já disseram que vão e 525 têm interesse.

O país está todo a arder, vários mortos e feridos, entre seres humanos e animais. Casas ardidas, floresta, centenas de postos de trabalho em zonas do interior em causa... a pergunta que se coloca é: não vamos fazer nada? Aceitamos isto como natural? Não nos manifestamos a exigir respostas de um governo que nada diz nem faz?"

 

Sábado, 21 de outubro

É dia de Conselho de Ministros Extraordinário sobre os incêndios e há vários protestos marcados:

 

Manifestação Silenciosa: Portugal Contra os Incêndios (Porto)

Porto, 16h, Avenida dos Aliados. Pelo menos 9.400 pessoas já disseram que vão e 40.000 têm interesse em comparecer.

Basta de passividade.
Manifestação para que as medidas de prevenção de combate a incêndios sejam realmente executadas.
Vamos à luta por um planeamento de defesa e protecção florestal".

 

Manifestação Silenciosa Portugal Contra os Incêndios (Lisboa)

Lisboa, 16h, Praça do Comércio (mudou a localização). Pelo menos 8.400 pessoas já disseram que vão e 41.000 têm interesse em comparecer.

É altura de nos unirmos. O país está de rastos com mais uma vaga de incêndios. Queremos ver mudança nas políticas de prevenção! Junta-te a nós nesta demonstração pública pacífica. O futuro começa agora".

 

Basta! Por um Futuro Sustentável!

Lisboa, 16:00, Praça do Comércio (mudou a localização, juntando-se à manifestação silenciosa a pedido da PSP). Convocada pelo Movimento Fénix - Renascer das Cinzas. Pelo menos 439 pessoas já disseram que vão e 1.100 têm interesse.

O dia de ontem dispensa comentários. Tal como o de 17 de Junho. Tal como o 7 de setembro do ano anterior ou como todos os outros (...).

No entanto, há algo de que não nos podemos esquecer: das PESSOAS! Das pessoas, da sua necessidade de segurança e bem estar, da promessa de um futuro que garanta a sustentabilidade social e ambiental, ainda antes da económica, para os espaços naturais e florestais do nosso país. Por isso, esta manifestação será um enorme BASTA! Basta do nosso silêncio, de assobiar para o lado, de fazer de conta que não é connosco, porque é. É com todos e agora, no presente, para que possamos garantir um amanhã melhor. Para isso, tudo o que exigimos é ACÇÃO!"

Este movimento tem, aliás, já vários locais confirmados para sábado, às 18 horas:

Além de Lisboa, o "Basta!" vai estar na EN236-1, que ficou conhecida como estrada da morte, depois de ter obtido autorização da Infraestruturas de Portugal, na Covilhã (junto à Câmara Municipal), no Fundão (Câmara), em Figueira de Castelo Rodrigo (Câmara Municipal), Guarda (Praça Luís de Camões/Praça Velha, às 16h), Oleiros (na aldeia de Álvaro), Valongo (Câmara), Famalicão (Câmara), Seia (Câmara), Águeda (Câmara) e Vila do Bispo (Câmara).

Movimento Fénix - Renascer das Cinzas está, ainda, a apelar à mobilização através da criação e partilha da hashtag #manifrenascer nas redes sociais.

Manifestação Silenciosa Portugal Contra os Incêndios - Viseu

Viseu, 16:00, Praça da República. Pelo menos 1.900 pessoas já disseram que vão e 8.000 têm interesse em comparecer.

Chega de conversa fiada. 
Vamos mostrar que exigimos medidas concretas.

Momento de:
- homenagear as vitimas
- lembrar os prejuizos biologicos e materiais
- agradecer aos bombeiros e a todos os que lutaram pelo país
- lembrar medidas basicas obrigatorias

Este evento, apartidario e apolitico, deveria ser estendido a todos os distritos do país!"


 

 

Domingo, 22 de outubro

Pela Defesa Da Nossa Floresta E Solidariedade Pelas Vítimas

Convocado por uma cidadã de Mondim de Basto, Vila Real, pretende que às 11:00, na praça principal de cada cidade portuguesa, as pessoas compareçam, "sem violência", com uma camisola branca "como sinal de protesto e respeito pelos lesados". 

Vamos todos mostrar a nossa solidariedade e pedido de medidas eficazes de combate e prevenção dos incêndios, pelos que perderam as vidas, as casas, pelos nossos bombeiros e pelas nossas florestas. 
Não podemos ficar quietos!!!"

Cerca de 47 pessoas dizem que vão e 106 têm interesse.