"O memorando de entendimento assinado com a ministra da Administração Interna garantia alguns direitos que temos vindo a reclamar desde sempre Fomos enganados e quem tem a responsabilidade de governar o país deu o dito por não dito, não tem palavra e cedeu a pressões estranhas à GNR", refere a APG.


O protesto

"Exigimos um estatuto remuneratório justo e digno para quem tem o dever de disponibilidade permanente e de exclusividade.Exigimos o reconhecimento do risco da nossa profissão e que respeitem quem arrisca a vida em nome da legalidade democrática e da paz pública", refere um manifesto da associação.


hora é de protesto