Mais de 200 bolseiros e cientistas concentraram-se, pela segunda vez, em frente à sede da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), em Lisboa, onde exigem a demissão do presidente da instituição, Miguel Seabra.

Os investigadores, que saíram à rua num protesto organizado pela Associação de Bolseiros de Investigação Científica contra os cortes nas bolsas de doutoramento e pós-doutoramento, regressaram à avenida D. Carlos I, onde se localiza a sede da FCT, depois de se terem concentrado perto da residência oficial do primeiro-ministro para pediram a demissão do Governo.

Entre assobios e palavras de ordem, os manifestantes pedem a demissão do presidente da FCT, Miguel Seabra.

«Fora, fora daqui, os cortes na ciência e o FMI» e «Seabra para a rua» foram algumas das palavras de ordem ouvidas em frente à sede da FCT, assim como «Demissão já».

De acordo com os resultados do concurso de 2013, publicados na quarta-feira no portal da FCT, foram atribuídas 298 bolsas de doutoramento e 233 de pós-doutoramento, com base na avaliação regular de candidatos.

No concurso de 2012, a Fundação para a Ciência e Tecnologia concedeu 1.198 bolsas de doutoramento e 677 de pós-doutoramento, a partir não só da avaliação regular, mas também da audiência prévia e dos recursos apresentados por candidatos que contestaram os resultados iniciais.